Palmela

Pároco responsabiliza funerária no caso do cadáver deixado na igreja

Pároco responsabiliza funerária no caso do cadáver deixado na igreja

O padre de Pinhal Novo acusou, este domingo, a funerária responsável pelo funeral de um idoso, deixado numa igreja de Olhos de Água para um velório que não ocorreu, como a "principal responsável" do caso, acusação que a funerária refuta.

"No Pinhal Novo (Setúbal) as capelas tinham dois velórios e a agência funerária que trouxe esse corpo veio para cá sem saber se tinha lugar", começou por explicar o pároco Manuel Ramalho, em declarações à Agência Lusa.

"Eles (agência funerária) que transportavam o corpo não falaram nada comigo, só depois. Antes, a agência tinha telefonado à senhora que guarda as chaves da igreja para vir abrir a porta, mas a senhora pensava que eles já tivessem falado comigo", explicou.

Contactado pela Lusa, o gerente da Funerária Rei, de Lisboa, Manuel Moreira, descartou responsabilidades neste caso, alegando que contactou a senhora que guarda as chaves da igreja e que obteve autorização para desenvolver o seu serviço.

"A senhora que guarda as chaves da igreja do Pinhal Novo, para quem nós pedimos para abrir as portas às 15 horas, compareceu no local e aí chegou-se à conclusão que havia lá dois corpos e que ela não sabia", acrescentou.

Depois, adiantou Manuel Moreira, a senhora "aconselhou-nos" que o corpo fosse para a igreja de Olhos de Água (Palmela).

O gerente da funerária acrescentou ainda que foram contratados para este funeral por "uma pessoa responsável" pelo falecido.

Fonte policial disse à Lusa que a vítima não tem família próxima em Portugal e o único parente mais direto encontra-se na Alemanha.

Entretanto, as autoridades policiais também já concluíram que foi um "mal entendido" que motivou este caso "insólito", pelo que não decorrem investigações devido à inexistência de suspeitas de crime, tratando-se apenas de "um mal entendido".

O cadáver do idoso continuava, este domingo de manhã, nas instalações dos serviços de Medicina Legal do Hospital de Setúbal, adiantou à Lusa fonte da unidade.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado