GNR

Ultraleve aterra em pista não certificada em Palmela

Ultraleve aterra em pista não certificada em Palmela

Um ultraleve de matrícula alemã, com dois ocupantes a bordo, aterrou na pista não certificada de uma herdade do concelho de Palmela.

O piloto, de nacionalidade alemã e 57 anos, explicou à GNR que descolou pelas 10 horas de terça-feira de Granada, no sul de Espanha, e que aterrou cerca das 12.50 horas na pista de terra batida da herdade de Rio Frio "supostamente autorizado por uma torre de controlo".

Fontes ligadas ao setor da aviação adiantaram à Lusa que a pista em causa "é privada e que não está certificada" pelo regulador nacional, a Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC), para que possa ser utilizada numa operação aérea.

Em resposta escrita enviada à Lusa, o regulador nacional da aviação indica que as operações de descolagem ou aterragem de ultraleves "são efetuadas apenas" em pistas aprovadas pela ANAC.

"Tendo em conta que esta pista não está aprovada pela ANAC, a realização da aterragem é suscetível de consubstanciar uma contraordenação aeronáutica grave. Deste modo, a GNR [e] a ANAC procederam à identificação do piloto, incluindo a verificação da existência de uma licença e documentação da aeronave", refere a resposta da ANAC.

O piloto alemão contou aos militares da GNR que se deslocou a Portugal para passar férias.

A GNR suspeita de uma "falha de comunicação" entre o piloto, que seguia a bordo com uma mulher, e o controlo do trafego aéreo, acrescentando que esta pista é normalmente usada para aterragens e descolagens de aeronaves ligeiras envolvidas em operações de pulverização agrícola.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM