Alijó

Proteção Civil diz que comunicações "nunca estiveram comprometidas"

Proteção Civil diz que comunicações "nunca estiveram comprometidas"

A Proteção Civil garantiu esta segunda-feira que as comunicações SIRESP no incêndio do concelho de Alijó "nunca estiveram comprometidas", avançando que algumas das "intermitências pontuais" registadas no domingo nesta rede são comuns nos fogos de grande dimensão.

"Foram registadas algumas intermitências pontuais, todavia comuns a todos os teatros de operações de grande dimensão, para as quais a ANPC de imediato acionou, através da Secretaria-Geral da Administração Interna (SGMAI), uma estação móvel que já se encontrava preposicionada no Porto", refere a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), em comunicado.

Na nota, intitulada "incêndio rural em Alijó: intermitências no SIRESP", a ANPC adianta que as comunicações SIRESP (Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal) no combate ao incêndio do concelho de Alijó (Vila Real), que lavra desde a madrugada de domingo, "nunca estiveram comprometidas".

No entanto, destaca que o plano de comunicações da ANPC prevê "supletivamente a interligação entre os vários meios que operam no teatro de operações através da Rede Operacional dos Bombeiros (ROB)".

A ANPC refere ainda que, como medida de precaução, foi também preposicionada, no distrito de Viseu, outra estação móvel de comunicações que "poderá ser de imediato acionada, caso se justifique", em outro incêndio.

O incêndio que começou na madrugada de domingo em Alijó, chegou pelas 13 horas de hoje "ao perímetro" da aldeia de Santa Eugénia.

De acordo a Proteção Civil, o fogo estava hoje à tarde a ser combatido por oito meios aéreos, 433 homens e 131 viaturas.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM