Incêndios

Retiradas 21 pessoas devido ao fogo em Alijó

Retiradas 21 pessoas devido ao fogo em Alijó

O incêndio de Alijó levou à retirada de 21 pessoas por precaução, esta segunda-feira à tarde, depois de terem sido verificadas várias reativações que aproximaram o fogo de algumas aldeias.

O incêndio que lavra desde a madrugada de domingo no concelho de Alijó, distrito de Vila Real, estava a mobilizar 500 operacionais, cerca de 170 veículos, oito máquinas de rasto e nove aviões, pelas 20.30 horas,

"Neste momento não há pessoas ou bens em perigo", salientou Pedro Nunes, adjunto de comando da Autoridade Municipal de Proteção Civil, acrescentando que não houve, até à data, registo de "qualquer habitação destruída ou de qualquer pessoa que tenha sofrido ferimentos".

As chamas aproximaram-se e rodearam algumas aldeias durante a tarde, razão pela qual foram retiradas, por precaução, foram deslocadas 21 pessoas, entre crianças, idosos e acamados, das aldeias de Carlão, Vila Chã, Francelos, Santa Eugénia e Franzilhal.

As estradas municipais entre Vila Chã e Francelos e entre Santa Eugénia e Carlão estiveram também cortadas.

O responsável explicou que as variáveis meteorológicas, como o aumento da intensidade do vento e a sua rotação contínua, alteraram a dinâmica do fogo e trouxeram inúmeras reativações a partir da hora do almoço, reativando praticamente todo o flanco direito.

"Não é possível, nestes períodos em que o fogo desenvolve tal atividade e tal velocidade de propagação, colocar qualquer tipo de meio, seja humano seja técnico a trabalhar em cima do fogo, porque não é possível e arriscamos a vida das pessoas", acrescentou.

Durante a noite, os operacionais vão atuar de forma direta, em cima do fogo, onde tal é possível, e também de forma indireta, recorrendo à técnica do contrafogo.

"Vamos esperar que o incêndio quebre a sua intensidade para que seja possível trabalhar estas duas técnicas e que o fogo venha para um parâmetro que esteja dentro do domínio da capacidade de extinção dos meios", salientou.

O presidente da Câmara de Alijó, Carlos Magalhães, já disse que quer acionar o Plano Municipal de Emergência. À noite, realiza-se uma reunião do Conselho Municipal de Proteção Civil.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM