Média

"Correio da Manhã" no top dos anúncios estatais

"Correio da Manhã" no top dos anúncios estatais

Em 2009, os que mais receberam investimento publicitário do Estado na imprensa foram o Correio da Manhã (30,16%), o Jornal de Notícias (18,96%), o Diário de Notícias (12,02%) e o Expresso (10,76%). A revista Focus (0,86%), o extinto 24 Horas (1,48%) e a Sábado (3,08%) foram os que tiveram menor investimento, contando com classificados.

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) disponibilizou ontem, quinta-feira, a versão final do estudo sobre o investimento publicitário do Estado, que representa cerca de 10% do global em Portugal.

O trabalho, que ficou disponível para consulta na página de internet da ERC, tem como base os anos de 2008 e 2009 e toma como referência as tabelas publicitárias e não os preços reais do mercado.

A amostra partiu de uma base de dados de inserções de publicidade da Marktest.

Assim, em 2009, num valor total de cerca de quatro mil milhões de euros nas diferentes plataformas, o investimento publicitário do Estado foi, segundo os preços de tabela, de 408 milhões de euros, 10,14% do total.

No que se refere ao peso do investimento do Estado nos diferentes meios, o mesmo assume maior protagonismo no Jornal i (36,1%), no semanário Sol (21,4%) e no Correio da Manhã (21,1%).

Quanto à televisão - que recolhe cerca de 80% do investimento total -, a TVI lidera, com 33,28%, a SIC obtém 31,99% e a RTP 28,21%, dados que incluem o investimento nos vários canais cabo. Na rádio, o investimento foi maior na TSF (31,13%), seguindo-se a RFM (26,07) e Rádio Comercial (23,76).

Conteúdo Patrocinado