Legislativas 2011

Catroga comparou Sócrates a Hitler e PS exige desculpas do PSD

Catroga comparou Sócrates a Hitler e PS exige desculpas do PSD

O cabeça de lista do PS no Porto, Francisco Assis, exigiu, quinta-feira, ao PSD um pedido de desculpa pelas declarações de Eduardo Catroga que, segundo aquele dirigente socialista, comparou José Sócrates a Hitler.

"Uma comparação do primeiro-ministro à sinistra figura do Hitler é uma coisa que, em qualquer país da Europa, teria consequências para quem fez uma afirmação dessa natureza". afirmou Assis, em declarações à Agência Lusa.

Eduardo Catroga, numa entrevista ao Público, publicada na quarta-feira, refere, a propósito dos dados das últimas sondagens: "Repare: o Hitler tinha o povo atrás de si até à derrocada, até à fase final da guerra. Faz parte das características dos demagogos conseguirem arrastar multidões. José Sócrates, honra lhe seja feita, é um grande actor, um mentiroso compulsivo, que vive num mundo virtual em que só ele tem razão".

Segundo o cabeça-de-lista socialista pelo círculo eleitoral do Porto, "a entrevista do doutor Catroga é absolutamente deplorável e ultrapassa todos os limites do que é aceitável do ponto de vista da ética política democrática".

"Como eu acho que o doutor Eduardo Catroga não é um inimputável, acho que é uma afirmação de gravidade extrema que careceria de uma reparação feita pelo PSD", acrescentou Assis.

Em Amarante, à margem de uma visita de candidatos socialistas a deputados às obras na escola secundária local, Assis lamentou que o PSD esteja "a apostar numa campanha de baixo nível, muito centrada numa avaliação de características de personalidade, numa perspectiva insidiosa do primeiro-ministro".

O candidato a deputado insiste que "não se faz política séria passando a vida a chamar mentiroso ao líder de um grande partido".

"Isso não é uma forma elevada e educada de desenvolver a actividade política. O PSD está a caminhar por uma via preocupante e degradante, que desqualifica todo o debate político em Portugal", considerou ainda.

Segundo o dirigente do PS, o discurso de "alguns altos dirigentes do PSD afasta-se de uma preocupação apresentada há dias pelo Presidente da República".

Francisco Assis reafirmou que os portugueses querem "uma campanha eleitoral com elevação e com respeito uns pelos outros, não fechando portas a alguns compromissos a estabelecer no futuro, independentemente de se estar no Governo ou oposição".

Assis, face ao que considera serem "lamentáveis e deploráveis afirmações de altos dirigentes do PSD", alertou para a necessidade de o PS "manter uma postura de grande elevação no debate político, não confundido aquilo que deve ser uma disputa em torno de argumentos com insultos de carácter puramente pessoal".

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado