Minuto a minuto

Manifestações 15 de Setembro, minuto a minuto

Manifestações 15 de Setembro, minuto a minuto

00.59. Síntese. Leia aqui o resumo do dia.

00.55 Lisboa. [Brightcove:1843936855001] O vídeo da manifestação de Lisboa.

00.30 Lisboa. A tensão continuava latente junto à escadaria da Assembleia da República, em Lisboa, mas os manifestantes já estavam a desmobilizar lentamente.

23.30 Porto. [Brightcove:1843943798001] O vídeo da manifestação do Porto.

21.47 Lisboa. Algumas grades de proteção à escadaria do Parlamento foram deitadas ao chão, com a polícia a deter alguns manifestantes. Antes, na rua António Augusto Aguiar, que fica no trajeto entre a Praça de Espanha e o Parlamento, alguns vidros de montras foram partidos, como, por exemplo, os do balcão do Milenium BCP e da Lamborghini.

21.30. Fotogaleria. Veja aqui as fotos das manifestações por todo o país.

21.30 Lisboa. Gritando a palavra de ordem "os gatunos estão lá dentro", os manifestantes junto à AR apelavam à polícia para deter deputados e governantes.

21.00 Os manifestantes que se deslocaram para a Assembleia da República lançaram petardos e garrafas para as escadarias do Parlamento.

20.00 Manifestantes de Lisboa dirigem-se para a Assembleia da República [Imagem:15]

19.45 Manifestação no Porto terá juntado mais de 100 mil pessoas, segundo números fornecidos pela organização ao JN.

19.33 Um homem, aparentando cerca de 20 anos, pegou fogo a si próprio e entrou a correr, em chamas, no antigo governo civil de Aveiro. A PSP apagou o fogo e o homem foi prontamente assisitidos pelos bombeiros. A entrada no edifício foi vedada. Do lado de fora, os manifestantes entoavam o hino nacional e falavam do desespero que terá, presume-se, tomado conta do jovem. "Entrou em stress pela situação e fez isto. A culpa é do governo", diziam. [Imagem:14]

19.04 Viseu. Cerca de mil pessoas concentraram-se no Rossio da cidade de Viseu, para demonstrar que pretendem outro rumo para o país. "Não podemos continuar calados por mais tempo. Estas manifestações mostram bem que as pessoas estão revoltadas e fartas de serem roubadas", sublinhou Américo Alves, que veio do norte do distrito para mostrar a sua indignação". O Rossio de Viseu "pintou-se" de gente, que decidiu sair à rua com os mais diversos cartazes, que tinham em Passos Coelho o seu principal visado. "Passos emigra", "Passos Rua" ou "Coelho vai para a toca" foram alguns dos recados exibidos em cartolinas, cartazes ou t-shirts, enquanto era entoada a palavra "gatuno". Depois de hora e meia de cânticos e discursos, os manifestantes desmobilizaram, ficando a promessa de novas ações de luta.

18.49 Manifestante imolou-se e entrou no Governo Civil de Aveiro. Foi imediatamente socorrido.

18.46 Na cauda da manifestação de Lisboa segue um grupo de extrema-direita, fortemente vigiado pela polícia. A acompanhar os cerca de 20 extremistas seguem quatro carros da Polícia de Intervenção.

18.41 Madeira. Milhares de pessoas, incluindo muitas crianças, desfilaram no Funchal, naquela que pode ser considerada a maior manifestação popular dos últimos anos

18.38 Coimbra [Imagem:13]

18.37 Lisboa. As milhares de pessoas que integram a manifestação "Que se lixe a troika! Queremos as nossas vidas!" em Lisboa começaram a chegar à Praça de Espanha.

18.29 Viseu. O Rossio de Viseu continua a "pintar-se" de gente, que decidiu sair à rua com os mais diversos cartazes, que têm em Passos Coelho o seu principal visado. "Passos emigra", "Passos Rua" ou "Coelho vai para a toca" são alguns dos recados que exibem em cartolinas, cartazes ou t-shirts, entoando em simultâneo a palavra "gatuno". [Imagem:12]

18.26 Porto [Imagem:11]

18.22 Guimarães. A manifestação em Guimarães terminou há minutos. O silêncio deu lugar aos protestos anti-Troika: "Fora o FMI, não queremos a Troika aqui", foi o que se ouviu do cordão humano feito por cerca de 100 pessoas. Os jovens estavam em maioria, e protestavam sobretudo contra a falta de oportunidades no mercado de trabalho. Havia também professores, desempregados de longa duração e funcionários da administração pública. [Imagem:10]

18.30 Vila Real. Ao som do hino nacional e das canções dos Deolinda e de Zeca Afonso, a manifestação antimedidas da Troika acontece em Vila Real. Na praça do município, reúnem-se novos e mais velhos para demonstrar a indignação perante as últimas medidas de austeridade anunciadas pelo Governo. De acordo com os números da Polícia de Segurança Pública, a manifestação juntou 1500 pessoas. [Imagem:9]

18.16. Polícia à paisana em Lisboa faz as primeiras detenções em frente ao edifício do FMI.

18.00 Mais de 300 manifestantes, muitos dos quais munidos simbolicamente com vassouras, cortaram o trânsito na principal avenida da cidade de Viana do Castelo.

17.58 Manifestantes atiram tomates, garrafas e vários petardos contra a porta da delegação do FMI em Lisboa. Pedem aos polícias para se juntarem à manifestação [Imagem:8]

17.51 Porto [Imagem:7]

17.44 Guimarães. No Largo do Toural, principal praça de Guimarães, não chegaram a 100 os manifestantes solidários com a expulsão da Troika de Portugal. Curiosamente em frente às sedes concelhias do PS, PSD e CDS - partidos favoráveis ao memorando - não se ouviu qualquer barulho que não as conversas habituais entre amigos. Fez-se, contudo, um cordão humano, em forma de roda, que mostrou com passividade a indignação da Troika. [Imagem:6]

17.38 Porto. Avenida dos Aliados.[Imagem:5]

17.35 Coimbra. Mais de 3000 pessoas manifestam-se na Praça da República, usando palavras de ordem como "troikemos de governo", "este governo é nazi", Espanha, Grécia, Irlanda e Portugal a nossa luta é igual". Veem-se famílias inteiras na manifestação.

17.34 Bragança. Medo ainda afasta gente da manifestação. Aos poucos a Praça Cavaleiro Ferreira, em Bragança, vai-se enchendo de gente que quer juntar-se à voz do país para protestar contra op pacote de austeridade. Uma fonte da organização explicou "que o medo ainda impera e há muitos que temem pelos empregos, não vêm mais estão solidários". Mesmo assim, 15 minutos após as 17h00 mais de uma centena já estava na praça para mostrar op seu descontentamento e lutar por uma vida mais digna.[Imagem:4]

17.28 Lisboa. Os milhares de pessoas que se concentraram na Praça José Fontana, em Lisboa, de onde sai a manifestação "Que se lixe a troika" Queremos as nossas vidas!", começaram a partir em direção à Praça de Espanha às 16.50 horas.

17.08 Porto. Milhares de pessoas estavam pelas 16.50 horas concentradas na Avenida dos Aliados, no Porto, gritando palavras de ordem como "Passos ladrão, pede a demissão" e "O povo não quer gatunos no poder". [Imagem:3]

17.00 Aveiro. Cerca de cinco mil pessoas concentravam-se junto à estação da CP, em Aveiro, misturando histórias pessoais e desagrado geral pelas políticas do governo e as mais recentes medidas de austeridade. Cartazes caseiros, onde a palavra BASTA aparece em destaque, davam a entender aos poucos distraídos o motivo da manifestação. O grupo seguiu pela avenida Lourenço peixinho até à câmara de Aveiro. Não estão previstas mais manifestações mas, "tal como a manifestação é pacífica e espontânea, logo se verá se sai mais alguma cosa", diziam os populares. Catarina Oliveira, psicóloga desempregada, uma das líderes da manifestação, disse, ao JN, que luta por si e "pelos desconhecidos. Os portugueses estão todos unidos". [Imagem:2]

16.30 Lisboa. A Praça José Fontana, em Lisboa, de onde sairá a manifestação "Que se lixe a troika! Queremos as nossas vidas!", convocada pelas redes sociais, estava pelas 16.30 horas com milhares de pessoas, que se preparavam para sair em direção à Praça de Espanha.

15.48 Braga. Em Braga, mais de sete mil pessoas gritam para a "Troika ir embora". A marcha em Braga tomou conta do palco na avenida central. Reformados, estudantes, desempregados e empregados juntam-se em protesto desde as 15 horas deste sábado em "assembleia popular". [Imagem:1]

11.44 Madrid. Dezenas de milhares de pessoas estão concentradas, na manhã deste sábado, na Praça Colon, centro de Madrid, onde confluem várias 'marés' de protesto associadas à "Marcha sobre Madrid", iniciativa da Cimeira Social, que reúne mais de 150 organizações.

09.00. Infografia. Veja aqui o mapa dos protestos.

Por Luís Pedro Carvalho, Catarina Cruz, Cristina Marques, Nuno Cerqueira, Teixeira Correia, Zulay Costa, Glória Lopes, Miguel Gonçalves, Delfim Machado, Patrícia Posse, Nuno Ropio

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado