Mundo

Arrisca até dois anos de prisão por matar hamster do irmão

Arrisca até dois anos de prisão por matar hamster do irmão

Uma jovem nova-iorquina poderá enfrentar uma pena até dois anos de prisão se ficar provada a sua culpa na morte do hámster do irmão mais novo, segundo uma associação de defesa dos animais.

Monique Smith, de 19 anos, foi detida depois de a Sociedade Norte-Americana para a Prevenção da Crueldade contra Animais ter sido alertada para a sua implicação na morte do hámster.

De acordo com esta Sociedade, que divulgou o caso na sua página na Internet, o animal morreu "com enorme violência", que lhe provocou uma hemorragia interna e danos irreparáveis do fígado.

A jovem enfrenta cinco acusações pela morte do hamster relacionadas com a crueldade sobre os animais e, caso venha a ser considerada culpada, pode levar uma pena máxima de dois anos de prisão e ser obrigada a pagar uma multa de 500 mil dólares (cerca de 3600 euros).

O animal foi morto em Junho do ano passado, depois de Monique Smith se ter zangado com o irmão mais novo, a quem pertencia o hámster.

A Sociedade Norte-Americana para a Prevenção da Crueldade contra Animais diz que não é normal lidar com denúncias ligadas a animais tão pequenos como hamsteres ou peixes, mas assegura que levará adiante a defesa de qualquer bicho.

Os protectores dos animais foram alertados para este caso e iniciaram uma investigação para determinar quem é o responsável pela morte do roedor, depois de a autópsia ter revelado que a morte se deu em condições violentas.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM