Mundo

Atacante de esquadra de Paris vivia em centro de refugiados

Atacante de esquadra de Paris vivia em centro de refugiados

O homem morto na quinta-feira, depois de ter tentado atacar uma esquadra policial em Paris, vivia "num centro de acolhimento de refugiados" no oeste da Alemanha.

"Nenhum indício de possíveis novos ataques" foi encontrado numa busca policial, realizada no centro situado em Recklinghausen, na Renãnia-do-Norte-Vestfália (oeste), de acordo com um comunicado.

A polícia alemã acrescentou que estava a trabalhar em estreita cooperação com as autoridades francesas.

Na quinta-feira, a polícia francesa abateu a tiro um homem armado com uma faca e que envergava um colete de explosivos falso, em frente a uma esquadra de Paris.

O homem levava sob o casaco uma bolsa da qual saía um fio, mas o dispositivo não continha explosivos, disse fonte judicial.

O Ministério do Interior francês acrescentou que o homem gritou "Allahu Akbar" (Alá é grande) quando tentou entrar na esquadra, situada no 18.º bairro, no norte da capital francesa.

"Na quinta-feira de manhã, um homem tentou atacar um polícia na portaria da esquadra de polícia antes de ser atingido por tiros disparados pela polícia", disse o porta-voz do Ministério do Interior, Pierre-Henry Brandet.

A esquadra situa-se no bairro de Goutte D'Or, onde reside uma importante comunidade imigrante, oriunda maioritariamente do Magrebe e África Subsaariana.

Conteúdo Patrocinado