O Jogo ao Vivo

Mundo

Canadiano libertado após cinco anos de sequestro no Afeganistão

Canadiano libertado após cinco anos de sequestro no Afeganistão

Um canadiano que foi raptado há cinco anos pelos talibãs, que o acusaram de espionagem, foi libertado, anunciou, esta segunda-feira, o ministro dos Negócios Estrangeiros canadiano, Stéphane Dion.

As circunstâncias e a data exata do sequestro de Colin Rutherford nunca foram precisadas com clareza. O seu desaparecimento na província de Ghazni, no centro do país e com uma importante presença da rebelião islamita, apenas foi revelado em fevereiro de 2011.

À época, o governo canadiano tinha indicado que Colin Rutherford, então com 26 anos, visitava o Afeganistão, que era já palco de confrontos, como simples turista.

Num vídeo difundido em maio de 2011 pelos talibãs, o homem dizia que estava no país para estudar "história, os locais históricos, as ruínas, os túmulos", e negava qualquer ligação ao seu governo.

O Canadá integrava na ocasião a coligação internacional que combatia os talibãs, com cerca de 3.000 soldados colocados no país asiático.

Os últimos soldados canadianos retiraram do Afeganistão em 2014.

"O Canadá está muito satisfeito que os esforços efetuados para obter a libertação de Colin Rutherford tenham sido frutuosos", referiu o ministro Stéphane Dion em comunicado, numa referência ao papel do Qatar na libertação do seu cidadão.

No entanto, não precisou onde se encontrava atualmente o canadiano, apesar de ter sublinhado que o seu governo iria ajudá-lo "a regressar a casa com toda a segurança".

"Agradeço sinceramente ao governo do Qatar pela sua ajuda neste caso", acrescentou o chefe da diplomacia canadiana, sem precisar a natureza da ajuda fornecida pelo emirado.

A libertação de Colin Rutherford ocorreu no dia do recomeço das conversações em Islamabad entre o Afeganistão, Paquistão, China e Estados Unidos, para relançar o diálogo entre os talibãs e as autoridades de Cabul.

Conteúdo Patrocinado