Mundo

Casa Branca pede ao YouTube para analisar vídeo anti-Islão

Casa Branca pede ao YouTube para analisar vídeo anti-Islão

A Casa Branca pediu ao YouTube para examinar o vídeo de conteúdo anti-Islão que suscitou uma onda de violência antiamericana no mundo árabe-muçulmano, para garantir que o mesmo não viola as condições de utilização deste "site".

"Contactámos o YouTube para que analisem o vídeo, pedindo-lhes que determinem se este não viola o regulamento de utilização do 'site'", disse à AFP Tommy Vietor, porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, gabinete de política externa do Presidente Barack Obama.

Anteriormente, o porta-voz da Casa Branca Jay Carney tinha defendido que a difusão do vídeo, alegadamente extraído de um filme anti-Islão intitulado "A Inocência dos Muçulmanos", não podia ser proibida pelo governo, por estar protegido pela primeira emenda da Constituição Americana, que estabelece a liberdade de expressão.

"Proteger a liberdade de expressão, mesmo para as palavras chocantes, constitui um princípio fundamental da nossa democracia", tinha explicado Carney, adiantando que, apesar disso, "é possível denunciar e condenar o que é considerado chocante".

"E fomos claros sobre este ponto em todo o mundo e também aqui nos Estados Unidos", esclareceu.

Conteúdo Patrocinado