Mundo

China censura 15 milhões de publicações em 2015

China censura 15 milhões de publicações em 2015

A censura chinesa apreendeu 15 milhões de publicações e fechou 28 mil páginas digitais por difusão de conteúdos considerados ilegais ou pornográficos no ano passado.

O Gabinete contra a Pornografia e Publicações Ilegais chinês, citado pela agência noticiosa oficial Xinhua, divulgou os números de uma campanha contra este tipo de conteúdos, que decorreu no ano passado e vai continuar este ano, informou.

As autoridades vão concentrar as inspeções em zonas junto a escolas para encontrar as lojas que vendem este tipo de publicações e processar quem partilhar, na internet, 'links' de páginas digitais pornográficas, páginas de armazenamento ou jogos 'online', indicou o mesmo gabinete.

Na semana passada, a Administração do Ciberespaço da China anunciou ter suspendido mais de 580 contas na rede social Weibo, o equivalente chinês da rede social Twitter, por divulgação de rumores, confundir a população ou desrespeito da Constituição chinesa.

Em fevereiro, o presidente chinês, Xi Jinping, sublinhou a necessidade de "lealdade absoluta" à liderança do Partido Comunista, durante uma visita aos três grandes meios de comunicação oficiais do país: Xinhua, Diário do Povo e cadeia de televisão CCTV.

Várias organizações não-governamentais denunciaram recentemente que a China atravessa um dos períodos de mais intensa repressão dos dissidentes e das liberdades individuais das últimas décadas.

No âmbito da campanha para travar os críticos, as autoridades chinessas detiveram cinco livreiros de Hong Kong por venderem livros proibidos pelo regime comunista.

Liu Yuxia, editora de um diários mais prestigiados da China, o cantonês Southern Metropolis Daily, foi despedida por elaborar uma capa na qual era alegadamente criticada a censura dos 'media' chineses.

Recomendadas

Outros conteúdos GM

Conteúdo Patrocinado