Mundo

Dilma Rousseff assegura que Zika não põe em causa dos Jogos Olímpicos

Dilma Rousseff assegura que Zika não põe em causa dos Jogos Olímpicos

A presidente do Brasil garantiu, este sábado, que a epidemia de Zika que afeta o país "não compromete a realização dos Jogos Olímpicos" do Rio de Janeiro, em agosto, e apelou aos brasileiros para lutarem contra os mosquitos transmissores do vírus.

"Nós conseguiremos, até aos Jogos Olímpicos, ter um sucesso bastante considerável nesse extermínio dos mosquitos. Agora, precisamos de vocês [da população]. Essa é uma obrigação do prefeito, do governador e minha. Agora, nós também apelamos à consciência de cada um dos cariocas, homens, mulheres, crianças, para que nos ajudem nessa função", disse Dilma Rousseff, numa visita a um subúrbio do Rio de Janeiro, no âmbito de uma campanha de sensibilização contra o Zika.

Esta mobilização nacional envolve 220 mil militares e profissionais de saúde em todo o país para combater a proliferação dos focos do Aedes Aegypti, o mosquito transmissor dos vírus zika, da dengue e da chikungunya. Os agentes e membros das forças armadas estão nas ruas para orientar a população em 353 municípios, além de distribuir cerca de quatro milhões de panfletos informativos sobre prevenção e as maneiras de eliminar os focos do mosquito.

"A guerra depende de nós. O governo está a comandar esta guerra, mas sozinho não vai ganhar, precisamos de todos", insistiu a presidente brasileira naquele que foi designado 'Dia Nacional de Mobilização Zika Zero', lembrando que as mulheres grávidas estão particularmente em risco.

As autoridades médicas suspeitam de que haja uma relação entre infeções ocorridas durante a gravidez e o aumento do número de crianças que nascem com microcefalia, havendo 4.000 casos suspeitos sob investigação.

No Brasil, em que 1,5 milhões de pessoas foram atingidas pelo vírus desde o início de 2015, já foram confirmados 404 casos de crianças que nasceram com microcefalia nos últimos meses. Pelo menos 17 bebés examinados possuíam anticorpos do vírus Zika no corpo.

Além de transmitir o Zika, o Aedes Egypti foi responsável pelo aumento dos casos de dengue em janeiro.

O Brasil registou 73.872 casos prováveis desta doença entre os dias 03 a 23 de janeiro. No mesmo período do ano passado, o número de casos prováveis de dengue foi 49.857, o que corresponde a um aumento de 48 por cento.

O governo federal prevê que a mobilização contra o mosquito realizada neste sábado deverá atingir cerca de três milhões de residências em todo o país.

Segundo dados do Ministério da Saúde, 23,8 milhões de imóveis já foram vistoriados por agentes e miliares na campanha de combate ao Aedes aegypti.

O órgão indicou que esse número representa 35,6% dos 67 milhões de imóveis que serão visitados no país.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado