Mundo

Encontrados 40 corpos de bebés e fetos em hospital do Rio de Janeiro

Encontrados 40 corpos de bebés e fetos em hospital do Rio de Janeiro

O Ministério Público brasileiro informou, esta segunda-feira, que está a investigar o caso de cerca de 40 corpos de bebés e fetos encontrados mal conservados e alguns sem identificação, no hospital público Pedro Hernesto, no Rio de Janeiro.

Os corpos foram encontrados na morgue do hospital, tido como referência em partos difíceis, durante uma inspeção realizada após um caso de uma mulher que vivia na rua e que abandonou o seu bebé após o parto.

De acordo com a procuradora responsável pelo caso, a equipa do Ministério Público foi até o local para inspecionar um caso concreto, de uma única criança, acabando surpreendida com a existência de cerca de 40 corpos sem a devida identificação.

Em declarações à Lusa, a procuradora disse que a maior preocupação é agora a de garantir um "sepultura digna" às crianças e dar seguimento às investigações para identificar e punir os responsáveis.

O Ministério Público vai identificar e tentar localizar os pais dos bebés falecidos para verificar o que ocorreu, se possuem outros filhos, e se necessitam de ajuda.

"Independente de qualquer conclusão, não há muita justificação para o armazenamento dos corpos. O hospital deveria ter acionado a Justiça para fazer os enterros", adiantou.

Numa nota, o hospital afirmou que os corpos pertencem a bebés abandonados pelos seus progenitores e que devido à "ausência de uma norma legal" que determine um prazo máximo para o enterro, e a "expectativa de que poderiam ser reclamados pelos seus familiares", fez com que os mantivessem na morgue.

"No momento, todos os corpos de fetos na morgue estão regularmente acondicionados e identificados, excetuando cinco corpos fetais que tiveram esta identificação comprometida por fatores físicos", acrescenta a nota.

Nesses casos, o Hospital prometeu guardar uma amostra para identificação por meio de DNA, caso venha a ser necessária.

A instituição informou ainda ter aberto uma Comissão de Sindicância, nomeada pela Direção do hospital, para apurar os fatos e questões operacionais envolvidas.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM