David Cameron

Estado Islâmico divulga vídeo de execuções e ameaça Reino Unido

Estado Islâmico divulga vídeo de execuções e ameaça Reino Unido

O grupo extremista Estado Islâmico ameaçou o Reino Unido num novo vídeo que mostra a execução de cinco "espiões".

O vídeo, divulgado este domingo em sites jiadistas e relatado pelo centro norte-americano de vigilância dos sites islamitas (SITE), começa com as "confissões" perante a câmara de cinco homens que se dizem originários de Raqa, a capital do autoproclamado Estado Islâmico (EI) na Síria.

Eles são apresentados por um jiadista, em inglês, como sendo "espiões".

Em Londres, o ministério dos Negócios Estrangeiros reagiu numa breve declaração afirmando estar "ao corrente do vídeo, cujo conteúdo está a analisar".

O discurso dos cinco homens não permite identificar o país ou países para os quais eles são acusados de espiar, mas um deles refere a coligação internacional liderada pelos Estados Unidos, que está a combater o EI no Iraque e na Síria.

A sequência seguinte mostra os cinco homens, vestidos com o fato cor de laranja dos prisioneiros do grupo jiadista, ajoelhados à frente de cinco homens encapuzados, todos vestidos com farda militar e armados com uma pistola.

"Isto é uma mensagem para David Cameron", o primeiro-ministro britânico, diz em inglês um dos jiadistas: "É espantoso ouvir hoje que um dirigente insignificante como tu contesta o poder do Estado Islâmico".

O Reino Unido, que bombardeou as posições do EI no Iraque, está a levar a cabo desde o início de dezembro ataques aéreos na Síria.

"Vamos continuar a fazer a jiad (guerra santa), a franquear as fronteiras, e um dia invadiremos o vosso território, onde governaremos segundo a Sharia", sustentou.

"A todos aqueles que querem continuar a lutar sob a bandeira de Cameron: Pensam realmente que o vosso Governo se preocupará convosco se caírem nas nossas mãos? Ou vai abandonar-vos como abandonou estes espiões e os que vieram antes deles?", atirou o jiadista, referindo-se aos cinco homens ajoelhados à sua frente.

No final do discurso, os cinco homens foram executados com um tiro na cabeça.

O grupo extremista Estado Islâmico, que desde junho de 2014 se apoderou de grandes parcelas dos territórios iraquiano e sírio, tem sistematicamente documentado as suas execuções e muitos atentados com vídeos e uma profusão de imagens para alimentar a sua propaganda.

Mas o grupo está há vários meses sob uma forte pressão militar e procura agora, segundo os especialistas, projetar uma imagem de poder, apesar de na realidade a sua visibilidade mediática ter diminuído.

Só esta semana, as forças iraquianas retomaram ao EI o controlo da cidade de Ramadi, enquanto na Síria uma coligação de rebeldes árabes e curdos recuperou uma barragem estratégica no norte do país.

Conteúdo Patrocinado