Vaticano

Homem que tentou matar João Paulo II diz que ordem partiu do Vaticano

Homem que tentou matar João Paulo II diz que ordem partiu do Vaticano

Mehmet Ali Agca, autor do atentado contra o papa João Paulo II, a 13 de Maio de 1981, acusou, hoje, terça-feira, o Vaticano de ter estado por detrás do crime.

Ali Agca culpou o secretário de Estado do Vaticano, Agustino Casaroli, como a pessoa que supostamente arquitectou o assassinato do papa.

"Definitivamente, o Governo do Vaticano esteve por detrás da intenção de assassinar o papa. O cardeal Agustino Casaroli, o número dois do Vaticano, decidiu assim", disse Ali Agca, em declarações exclusivas à televisão pública turca TRT.

João Paulo II foi atingido com gravidade por três tiros, quando viajava num veículo aberto, na Praça de S. Pedro, no Vaticano, a 13 de Maio de 1981.

A ordem de execução terá chegado através de um agente do Vaticano, identificado por Agca como "padre Michele", disse. "Pratiquei várias técnicas de ataque com o padre Michele e com outro agente do Vaticano. Reuni-me muitas vezes com ele e fomos até à praça de S. Pedro para planear o atentado", contou.

 Ali Agca explicou, ainda, que durante o encontro que teve com João Paulo II, em Dezembro de 1983, o papa não o questionou sobre a autoria do atentado, porque o chefe da igreja católica "sabia muito bem que o Vaticano estava por detrás".

Agca tem 52 anos e esteve preso numa prisão italiana durante 19 anos e 10 anos numa cadeia turca, de onde foi libertado em Janeiro deste ano.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM