Refugiados

Imagens chocantes mostram cidade síria arrasada

Imagens chocantes mostram cidade síria arrasada

Filmagens de um drone russo mostram a cidade de Homs, outrora a terceira maior cidade na Síria, reduzida a destroços e deixada ao abandono.

Num momento em que a Europa parece limitar os pontos de acesso ao fluxo contínuo de refugiados em busca de asilo, um vídeo de um drone, feito pela agência do estado russo VGTRK, a sobrevoar Homs revela a devastação chocante da qual os sírios têm vindo a fugir. As imagens aéreas mostram uma cidade totalmente destruída e deixada ao abandono. Os únicos indícios de vida que se conseguem ver são um conjunto de baloiços destruídos e antenas parabólicas no topo dos edifícios. E três crianças, que atravessam uma rua rodeada de edifícios bombardeados.

As imagens são claras: aquela que foi uma das maiores cidades do país com cerca de 600 mil habitantes, é agora um campo de batalha desintegrado por cinco anos de guerra civil. Homs chegou a ser chamada de "Berço da Revolução" tendo-se tornado uma fortaleza da oposição durante a guerra civil. Numa tentativa de impedir o crescimento da revolução, as forças do governo impuseram um cerco que durou de maio de 2011 a maio de 2014, até um acordo de cessar-fogo mediado pela ONU garantir a retirada dos últimos mil rebeldes da cidade.

A união Europeia tem vindo a pressionar a Grécia para verificar o fluxo de requerentes de asilo na sua costa, nomeadamente com pontos reforçados de registo e segurança, ameaçando a imposição de um controlo de fronteiras com outros membros da zona Schengen. A Grécia já adiantou que o exército irá ajudar a polícia e autoridades portuárias a lidar com as novas entradas. Desde o início do ano, um total de 67.072 migrantes chegaram à Europa através do Mediterrâneo, incluindo 61.746 que desembarcaram na Grécia e 5.326 em Itália, de acordo com o Alto Comissario das Nações Unidas para os Refugiados.

A UNICEF avançou que as crianças compõem mais de um terço dos requerentes de asilo que fazem a perigosa viagem pelo mar da Turquia para a Grécia. A situação das crianças foi trazida à discussão, no ano passado, quando o corpo da criança síria Aylan Kurdi foi encontrado na costa da ilha grega de Lesbos, horrorizando a comunidade internacional.

Conteúdo Patrocinado