Mundo

Inaugurado edifício mais caro do mundo

Inaugurado edifício mais caro do mundo

Chama-se One Hyde Park e é o edifício residencial mais caro do mundo. Recentemente inaugurado em Londres, num dos bairros mais caros da capital britânica - Knightsbridge -, o complexo é composto por quatro blocos de 13 andares. Ali, o metro quadrado ronda os 70 mil euros.

Com amplas vistas para Hyde Park, o grande parque situado bem no centro de Londres, o empreendimento foi lançado, em 2005, mediante grande estupefacção. Poucos acreditavam que o luxo ainda em projecto viesse a ter clientela, face aos elevados valores em questão.

Inaugurado recentemente, o empreendimento, com 86 apartamentos, tem já 60% da sua área vendida. Como se previa, não são maioritariamente britânicos os que ali vão viver. Com efeito, apenas 10% dos proprietários são daquela nacionalidade. Os apartamentos até agora vendidos foram parar às mãos de russos, chineses e árabes.

A construção foi desenhada por sir Richard Rogers e promovida pela empresa de imobiliário Candy & Candy, dos irmãos Christian e Nick Candy. Os apartamentos mais caros são os que se situam no topo dos edifícios e valem 165 milhões de euros.

Esta zona de Londres é das mais cobiçadas pelos muito ricos de todo o mundo, principalmente os príncipes do Médio Oriente, por ser segura. A cidade é suficientemente grande para lhes garantir o anonimato, proporciona diversidade cultural e proximidade com o mundo dos negócios.

É justo perguntar o que se paga com 70 mil euros por metro quadrado. O luxo, claro: por exemplo, nos sótãos, alarmes previamente configurados abrem as clarabóias ao som de música suave; obras de arte colocadas nas paredes giram para dar lugar a ecrãs de televisão. Existe ainda uma piscina de 22 metros, sauna, banho turco, um ginásio, campo de squash e um simulador de golfe.

Há, ainda, uma adega e uma ligação ao hotel de luxo que fica mesmo ao lado - o Mandarim Oriental - que serve para o fornecimento de refeições. No rés-do-chão dos edifícios existem lojas para produtos e bancos de renome mundial.

Outra curiosidade, é a existência de "salas de pânico" nos topos dos quatro edifícios. Trata-se de espaços onde os proprietários podem ficar fechados e bloqueados em situações em que se sintam em perigo.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado