homicídio

Mataram amigo para que ressuscitasse como vampiro

Mataram amigo para que ressuscitasse como vampiro

Um jovem de 24 anos foi espancado e estrangulado pelos amigos, que cumpriam um ritual satânico com um objetivo: matá-lo para que ressuscitasse como vampiro.

Edwin Juárez Palma, mais conhecido como Piwa, morreu, na passada semana, num alegado ritual iniciático de uma seita satânica, em Chihuahua, no México.

O caso chocou a comunidade e as próprias autoridades que se encontram a investigar o crime. "Os alegados homicidas acreditavam que estavam a iniciar a vítima com um ritual satânico que o próprio solicitou para ressuscitar como vampiro", disse, este domingo, o diretor-geral da Polícia Federal, Pablo Rocha Acosta, citado pelos média mexicanos, avançando mais detalhes acerca do homicídio. Contudo, não está ainda esclarecido se o crime foi cometido com o consentimento da vítima.

Edwin foi amarrado, cortado com uma garrafa de vidro partida em várias zonas do corpo e, por fim, estrangulado. Os suspeitos do crime terão seguido os passos de um ritual descrito num livro, mas, ao contrário do que o manual indicava, Edwin não voltou à vida como ser imortal. Morreu. Foi então colocado dentro de sacos plásticos presos com fita adesiva e colocado na rua para que a sua morte fosse associada a um ajuste de contas entre gangues.

O corpo foi encontrado na passada terça-feira no centro da cidade de Chihuahua. Em poucas horas, as autoridades identificaram os três suspeitos do crime que, entretanto, foram detidos. Iveth López Hernández e Gustavo Dorantes Dorantes, de 18 anos, e Omar Sabchéz garcía, de 25. Se forem condenados, arriscam uma pena até 40 anos de prisão.

Conteúdo Patrocinado