EUA

Matou o ex-sogro e confessou crime com uma "selfie"

Matou o ex-sogro e confessou crime com uma "selfie"

Uma jovem esfaqueou mortalmente o ex-sogro por o considerar culpado do suicídio do ex-marido. Tirou uma foto com o corpo e partilhou-a na internet.

Amanda Taylor responsabilizava o ex-sogro, Charles, por ter levado o ex-marido, Rex, para o mundo das drogas quando tinha apenas 15 anos. Foi a toxicodependência que levou Rex à depressão e posteriormente ao suicídio.

A jovem de 24 anos, natural da comunidade de Ironto, na Virgina, Estados Unidos, não se conformou com a morte do ex-marido (em agosto de 2014) e, a 4 de abril do ano passado, foi a casa do ex-sogro e apunhalou Charles 31 vezes. Depois, fez uma "selfie" com o corpo e partilhou a imagem com um amigo que geria uma página na internet sobre assassinos em série, noticiou o "El Mundo" este domingo.

"Apunhalei o meu sogro até à morte porque destruiu o meu marido", escreveu junto à imagem do corpo de Charles já sem vida, que publicou na sua página do Facebook. "Não fui a mulher perfeita mas isto era a última coisa certa que podia fazer", acrescentou, de acordo com o britânico "Mirror".

Os amigos de Amanda ficaram em choque ao ver a publicação. Apesar de o suicídio de Rex a ter deixado muito abalada, tinham dois filhos em comum: um menino de 8 anos e uma menina de 3. Amanda e Rex separaram-se em abril de 2014, quando ela lhe disse que não queria drogas perto dos filhos. Ele foi viver com o pai e quatro meses depois enforcou-se. "Estou orgulhosa de ter feito isto pelo Rex. Amo os meus filhos mas Charles matou o meu marido", confessou a jovem na rede social.

O crime tem contornos intrigantes: a homicida esfaqueou mortalmente o ex-sogro às 03.27 horas (da tarde), simbolizando a data 03/27 (em português, 27 de março) dia em que Amanda e Rex faziam anos.

Quando a polícia encontrou o corpo de Charles, de 59 anos, no sofá da casa onde morava, Amanda estava em fuga com um amigo que a acompanhou a casa do ex-sogro e tinha divulgado no Instagram a imagem de um revólver com o qual pretendia por fim à própria vida."Vou encontrar o meu marido (...) e finalmente ter paz. Amo-te mãe e aos meus lindos [filhos] e sei que vais dar-lhes a vida que não consigo depois disto tudo...", justificou.

O seu cúmplice foi encontrado na beira da estrada com ferimentos graves. Terá sido baleado pela amiga. As autoridades conseguiram seguir-lhe o rasto e Amanda foi detida. No passado dia 12 de novembro foi condenada a prisão perpétua por homicídio. Em tribunal declarou-se inocente. Mas a confissão nas redes sociais confirmou ao mundo que é culpada.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado