O Jogo ao Vivo

EUA

Obama ainda não saiu mas Senado já deu início ao fim do Obamacare

Obama ainda não saiu mas Senado já deu início ao fim do Obamacare

O Senado norte-americano aprovou, esta quinta-feira, uma medida que representa o primeiro passo para desmantelar o programa de saúde "Obamacare" tal como anunciou o presidente eleito Donald Trump.

A votação no Senado (51-48) permite que sejam adotadas medidas posteriores para afastar a legislação existente.

"Temos de agir rapidamente para trazer alívio ao povo norte-americano", disse o líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell.

A Câmara dos Representantes deve votar na sexta-feira a medida que abre caminho para a revogação do "Obamacare", apesar de alguns republicanos terem manifestado dúvidas sobre o início do processo antes de ser apresentado um plano de substituição.

Na terça-feira, Donald Trump prometeu que a sua Administração irá revelar em breve um plano para substituir o "Obamacare" com legislação para "tratar dos cuidados de saúde neste país".

"Vamos repelir e substituir, é uma coisa muito complicada", disse Trump, acrescentando que os dois passos iriam surgir praticamente ao mesmo tempo, uma promessa que será difícil de cumprir tendo em conta as regras do Senado e a oposição dos democratas.

A aprovação da proposta desta quinta-feira vai permitir legislação consequente para fugir ao risco de uma obstrução parlamentar (filibuster) pelos democratas no Senado. No entanto, os republicanos ainda não chegaram a um acordo sobre como substituir o "Obamacare".

O programa do Presidente Obama alargou a assistência na saúde a cerca de 20 milhões de norte-americanos, impedindo que as seguradoras negassem cobertura devido a problemas preexistentes, e direcionou milhares de milhões de dólares para os estados para o programa de saúde Medicaid, destinado aos mais pobres.

A votação do Senado vai estabelecer regras orçamentais especiais que vão permitir que a segunda votação, para repelir partes do programa de saúde, aconteça com uma maioria simples no Senado.

Recomendadas

Outros conteúdos GM

Conteúdo Patrocinado