Mundo

Pai degolou filho mais novo de 19 meses e apunhalou o mais velho

Pai degolou filho mais novo de 19 meses e apunhalou o mais velho

Um homem matou, domingo à noite, em Madrid, o filho bebé de 19 meses e apunhalou nas costas o outro filho, de cinco anos. Numa carta, deixou escrito que cometeu os crimes para o bem das crianças.

Jorge Diego, um uruguaio de 32 anos, cometeu os crimes que estão a chocar Espanha, por volta da meia-noite de domingo. Antes, tinha pedido à ex-mulher e mãe das crianças para ficar com elas naquela noite. Foi detido pela polícia ainda no local do crime. "Foi para o bem dos meus filhos", disse repetidamente, enquanto estava a ser detido.

As crianças foram encontradas pela ex-mulher, que foi até à vivenda palco dos crimes, depois de ter tentado falar com Jorge várias vezes, sem sucesso. Usou a chave que ainda tinha de casa para entrar e deparou-se com o cenário macabro.

O ex-marido tinha degolado o filho mais novo, de apenas 19 meses. A criança estava em paragem cardio-respiratoria e já não pode ser ajudado pela equipa de emergência quando chegaram à casa. O filho mais velho, de cinco anos, tinha uma faca de grandes dimensões cravada nas costas, que não foi retirada no local devido ao risco de hemorragia. Depois de estabilizada, a criança foi transportada ao hospital, onde se encontra internada em estado grave.

A mãe, uma tia e a avó das crianças também foram assistidas pela equipa de emergência, devido a crises de ansiedade, e foram também encaminhadas para o hospital.

Um vizinho no condomínio de vivendas de Carabanchel, em Madrid, disse ter ouvido "muito barulho, uma discussão seguida de passos muito rápidos". Algo, que como era habitual, não estranhou.

Esta segunda-feira, a polícia ainda não tinha percebido qual era a intenção de Jorge Diego. A nota que deixou escrita indicia que terá pensado em suicidar-se, mas não o fez. Na carta, o homem explica que não queria ser um peso para ninguém, revelaram fontes da investigação citadas pelas Imprensa espanhola.

A polícia apurou, esta segunda-feira, que Jorge Diego maltratava a ex-mulher, quando ainda viviam juntos. No entanto, a mãe das crianças nunca apresentou queixa. O vizinho mais próximo da casa da família disse ao "El País" que apesar de o casal discutir com frequência, mas imaginou um desfecho assim.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM