Mundo

Vinte crianças morrem em naufrágios no mar Egeu

Vinte crianças morrem em naufrágios no mar Egeu

Pelo menos 44 pessoas, incluindo 20 crianças, morreram em dois naufrágios ao largo das ilhas gregas Farmakonissi e Kalolimnos no mar Egeu. Há dezenas de migrantes dados como desaparecidos.

Guardas costeiros gregos recuperaram, esta sexta-feira, mais 20 corpos de migrantes, aumentando para 44 mortos, dos quais 20 crianças, o balanço ainda provisório de três naufrágios ocorridos de madrugada entre as costas turcas e gregas, anunciou a polícia portuária.

As mais recentes vítimas morreram no naufrágio da embarcação ao largo da ilha de Kalolimnos, que até agora causou 34 mortos, entre os quais 11 crianças e 16 mulheres. As buscas prosseguem na zona, dado que, segundo os 26 sobreviventes, a embarcação transportava várias dezenas de pessoas.

Sete outras pessoas, seis crianças e uma mulher, afogaram-se quando a embarcação se afundou na costa de Farmakonissi, mais a norte. O naufrágio, ocorrido perto das 0.30 horas, 48 pessoas conseguiram alcançar a salvo as costas de Farmakoniss. Foram recuperados oito corpos pela guarda costeira, incluindo sete crianças e uma mulher.

Os guardas costeiros turcos, por seu turno, recuperaram os corpos de três crianças após um terceiro naufrágio ao largo de Didim, segundo a agência noticiosa Dogan.

As autoridades gregas e organizações humanitárias alertavam há semanas para o crescente risco das travessias entre a costa turca e as ilhas gregas, devido à chegada do inverno.

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) lamentou "um recorde de mortes no Mediterrâneo de migrantes e refugiados em janeiro de 2016 em relação aos meses de janeiro de 2015 e 2014", com pelo menos 119 pessoas.

O número de janeiro de 2016 é "mais elevado que o número total de vítimas em janeiro de 2015 (82 mortos) e em janeiro de 2014 (12)", adiantou a OIM.

Na quinta-feira, pelo menos 12 migrantes, incluindo crianças, morreram ao largo das costas ocidentais da Turquia. A guarda costeira turca conseguiu salvar 28 pessoas.

Segundo estimativas da Organização Internacional para as Migrações (OIM), 77 pessoas morreram nestas travessias entre 1 e 18 de janeiro.

Também desde o início do ano, a OIM contou 31 mil chegadas às ilhas gregas, um número 21 vezes superior do que o registado em janeiro de 2015.

Conteúdo Patrocinado