Coreias

Seul tem plano para assassinar Kim Jong-un

Seul tem plano para assassinar Kim Jong-un

A Coreia do Sul tem um plano para assassinar o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, se Pyongyang prosseguir a escalada nuclear.

Questionado pelo deputado sul-coreano Kim Sung-chan, o ministro da Defesa, Han Min-koo, confirmou numa sessão parlamentar os rumores quanto à existência de um plano para assassinar Kim Jong-un, o polémico líder do Norte. O ministro, segundo o jornal "Korean Times", afirmou que o país "considera ativar uma unidade de forças especiais para assassinar o líder norte-coreano". O plano enquadra-se no projeto "Castigo massivo e retaliação coreana" (KMPR).

Han Min-koo afirmou aos deputados que a unidade de forças especiais atuará se a Coreia do Norte mostrar sinais de ataque. "Se se tornar claro que o inimigo está a mover-se para atacar com mísseis nucleares, e de modo a impedi-lo, a ideia é destruir figuras e áreas chave, que incluem a liderança norte-coreana".

O projeto faz parte de um "sistema de três eixos" dos militares da Coreia do Sul em resposta às provocações da Coreia do Norte. Dos três eixos fazem ainda parte o uso do sistema antimísseis de Seul e um programa de ataques preventivos da Coreia do Sul e dos Estados Unidos.

Para além disso, a Coreia do Sul e os EUA preparam um escudo antimísseis, THAAD, fabricado pelos norte-americanos. A ação provocou protestos da China e da Rússia, que acreditam que pode ameaçar a sua segurança e levar ao armamento da região, adianta o diário espanhol "El País".

Recomendadas

Outros conteúdos GM

Conteúdo Patrocinado