Mundo

Jovem que vendeu virgindade por 600 mil euros pediu 38 mil há dois anos

Jovem que vendeu virgindade por 600 mil euros pediu 38 mil há dois anos

A jovem que leiloou a virgindade por 600 mil euros tinha pedido cerca de 38 mil a um empresário da noite brasileira, há dois anos. O homem, que diz já ter feito sexo com mais de duas mil mulheres, recusou. E garante que dormiram em camas separadas.

Catarina Migliorini vendeu a virgindade por 780 mil dólares (cerca de 600 mil euros), num leilão que faz parte de um documentário de um cineasta australiano "Virgins Wanted". Mas, pelos vistos, esta não foi a primeira vez que a brasileira, de 20 anos, tentou lucrar com a... primeira vez.

Oscar Maroni, autodenominado "Rei da Noite" paulista, diz que "Ingrid, há dois anos, ofereceu-se por 100 mil reais", cerca de 38 mil euros. "Podem perguntar-lhe. Ela lembra-se de mim", revelou o dono do Bahamas, mítico clube privado de S. Paulo.

Catarina Migliorini, que está a gravar o documentário "Virgins Wanted" na Austrália, programa que lançou o leilão pela virgindade de dois jovens, a brasileira e um russo, disse que à "Folha" de S. Paulo que conhece Maroni, mas não quis fazer mais comentários.

Já o empresário da noite paulista não tem segredos. Contou que passou um fim de semana com Ingrid, num hotel de cinco estrelas em Balneário Camboriú (a 82,6 km de Florianópolis), cidade vizinha da Itapema onde vive a jovem brasileira, em 2010.

Maroni lembra um jantar romântico e um passeio de mãos dadas pela praia, que terminou no quarto do hotel, com Catarina a apresentar a conta. "Demos uns beijos, mas na hora H ela insistiu em vender a virgindade por 100 mil reais", disse, em declarações à "Folha" de S. Paulo.

"Isso de virgindade é do tempo do meu bisavô, coisa de macho inseguro. Estou fora", disse Maroni, revelando que não houve condições para consumar o ato. Catarina dormiu no sofá, "de pijaminha", e o empresário ficou na cama de casal.

Na manhã seguinte, Catarina surpreendeu Maroni, ao sentar-se num piano para tocar clássicos de Bach e Beethoven. Foi a última vez que a viu e ouvi.

Os vizinhos de Ingrid, conta a reportagem da "Folha", acham a história muito esquisita. Tanto como lhes parece a jovem, que "nunca é vista com garotos" da mesma idade e que tem como única companhia o irmão, de 17 anos, companheiro dos jogos voleibol na praia.

A jovem disse querer usar o dinheiro para construir casas populares, para ajudar uma organização não-governamental e para estudar medicina na Argentina.

O leilão da virgindade de Catarina, promovido pelos autores do documentário "Virgins Wanted", que acompanha o antes e o depois da primeira vez de dois jovens, um rapaz e uma rapariga, teve apenas 15 lances: nove foram do Brasil, o mais baixo de 1 dólar e o mais alto de 150 mil dólares (115 mil euros).

O lance mais alto pertence a um japonês, identificado como Natsu que se dispôs a pagar 780 mil dólares, cerca de 600 mil euros, pela primeira vez de Catarina.

O ato terá de ser consumado a bordo de um avião, para evitar problemas legais, e o vencedor do leilão terá no máximo uma hora com Ingrid. Não pode beijar, nem usar brinquedos sexuais e tem de pagar adiantado.

Conteúdo Patrocinado