Mundo

Médicos chamam bombeiros para operar pénis preso num cilindro

Médicos chamam bombeiros para operar pénis preso num cilindro

Os bombeiros da cidade de Granada, em Espanha, foram chamados para dar uma ajuda numa operação de urgência no hospital local: os médicos precisavam de retirar o pénis de um homem de um tubo de aço de dois centímetros de diâmetro e não tinham as ferramentas adequadas para o fazer.

Eram 4 horas da madrugada da passada terça-feira quando os bombeiros de Granada foram chamados a dar uma ajuda na sala de operações do serviço de urgência do Hospital Virgen de las Nieves, naquela cidade. Um homem de 52 anos havia introduzido o pénis num tubo de aço de dois centímetros de largura, no qual havia ficado preso. A falta de equipamentos apropriados para a operação fazia o homem correr o risco de sofrer de gangrena caso a falta de resposta se prolongasse.

Ali chegados, os bombeiros verificaram que também as suas ferramentas não eram as mais eficazes para uma situação tão delicada.

"Preparámos o material que podia servir, as ferramentas mais pequenas que tínhamos e fomos a correr para a urgência do hospital. Ali vimos que a situação era pior do que imaginávamos, devido ao aspeto que o pénis apresentava", revelou o sargento da corporação de bombeiros, Simón Soriano.

"Já haviam passado várias horas desde que se produzira o incidente e havia pouco mais tempo para resolver o problema. Ou eliminávamos o tubo ou o pénis teria de ser amputado", disse.

Foi então que o referido sargento lembrou-se de ir a casa buscar uma pequena máquina de corte de metal. O instrumento revelou-se eficaz após uma operação que se prolongou por cerca de duas horas. "Fizemos cortes milimétricos muito lentos e, por sorte, tudo correu bem", revelou.

O homem não revelou os motivos que o levaram a introduzir o pénis num tubo de aço. Contudo, supõe-se que se trate de um método que, ao estrangular o órgão sexual, produza uma maior ereção.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado