Aprender a decifrar

As siglas de que se fala na Saúde

As siglas de que se fala na Saúde

As conversas, até as discussões mais acaloradas, sobre a Saúde em Portugal fazem-se com recurso às siglas. O JN ajuda a menter presente o que significam.

CODU – Centro de Orientação de Doentes Urgentes
São Centrais de Emergência Médica responsáveis pelo número Europeu de Emergência - 112. Na prática são transferidos para os CODU os pedidos de socorro efectuados por aquela via, referentes a situações de urgência ou emergência na área da saúde. Compete aos CODU atender e avaliar no mais curto espaço de tempo os pedidos de socorro recebidos, com o objectivo de determinar os recursos necessários e adequados a cada caso. Os CODU coordenam e gerem um conjunto de meios de socorro (ambulâncias de socorro, viaturas médicas e helicópteros) seleccionados com base na situação clínica das vítimas, com o objectivo de prestar o socorro mais adequado no mais curto espaço de tempo.

VMER – Viatura Médica de Emergência e Reanimação
É um veículo de intervenção pré-hospitalar, concebido para o transporte rápido de uma equipa médica directamente ao local onde se encontra o doente. Com uma equipa constituída por um médico e um enfermeiro ou tripulante de ambulância de socorro, dispõe de equipamento de Suporte Avançado de Vida.  Actuando na dependência directa dos CODU, as VMER têm base hospitalar, tendo como objectivo a estabilização pré-hospitalar e o acompanhamento médico durante o transporte de vítimas de acidente ou doença súbita em situações de emergência.

SIV – Ambulância de Suporte Imediato de Vida
As ambulâncias SIV vão ser tripuladas por um enfermeiro e por um Técnico de Ambulância de Emergência (TAE). Os enfermeiros terão por principal função a prestação cuidados de Emergência Médica de acordo com os protocolos instituídos pelo INEM e as orientações da Direcção Médica do serviço. Pode garantir os cuidados de saúde capazes de resultar numa reanimação com sucesso até estar disponível uma equipa médica, dita de suporte avançado de vida. Este conceito é extensível às situações que poderão evoluir para Paragem Cárdio-Respiratória, caso não sejam imediatamente tomadas as medidas necessárias.

SBV – Ambulância de Suporte Básico de Vida
Ambulância de Suporte Básico de Vida - São tripuladas por dois técnicos de ambulância de emergência. Do equipamento faz parte material de avaliação e estabilização, quer nas vertentes de trauma e doença súbita. Estão também equipadas com Desfibrilhador Automático Externo.

SAP – Serviço de Atendimento Permanente
Solução encontrada nos anos 1990 para colmatar a falta de atendimento em tempo normal de consultas nos centros de saúde. Funcionam 24 horas. Não tem meios de diagnóstico químico e radiológico, nem está ligados à rede de transportes de doentes.

SUB – Serviço de Urgência Básica
É o primeiro nível de intervenção, com os cuidados mais simples, mas tem de ter em permanência dois médicos e dois enfermeiros, possibilitando o apoio diferenciado em permanência, incluindo durante eventual acompanhamento de doente para serviço de nível superior, sendo esse número ajustável em função da afluência de pessoas. Tem meios complementares de diagnóstico (raios-X e análises, por exemplo) e pode realizar pequenas cirurgias.

SUMC – Serviço de Urgência Médico-Cirúrgica
Com valência de cirurgia de urgência. De nível intermédio,  funciona, por princípio, em hospitais distritais com bloco operatório aberto 24 horas por dia, medicina interna, cirurgia geral, ortopedia ou imunohematologia ou anestesiologia. Tem ainda que ter disponível meios de diagnósticos de imagiologia (TAC ou ecografia) e patologia clínica. A comissão propôs 27, a tutela diz que estão a funcionar 26.

SUP – Serviço de Urgência Polivalente
É o nível mais completo e deve localizar-se num hospital central. A comissão propôs 14, a tutela diz que estão a funcionar 10. Além da criação de urgências básicas, este nível implica também investimentos em alguns hospitais que hoje não têm ainda todas as valências necessárias, como é o caso de Évora, Vila Real ou Faro. E implica um reforço de médicos em especialidades carenciadas.

USF - Unidade de Saúde Familiar
Funcionam dentro do próprio centro de saúde ou em espaços próximos, mas de uma forma autónoma, tendencialmente mais próxima das pessoas. O atendimento é garantido, mesmo sem consulta marcada, entre as 8 e as 20 horas, premitindo o recurso à USF em horário pós-laboral.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado