Nacional

CDS-PP estranha "muitas opiniões" de Jardim sobre a dívida do continente

CDS-PP estranha "muitas opiniões" de Jardim sobre a dívida do continente

O presidente do Grupo Parlamentar do CDS-PP disse, esta segunda-feira, estranhar que Alberto João Jardim "tenha muitas opiniões sobre a dívida do continente, esquecendo-se da dívida que fez e que tem na Madeira".

Na abertura das Jornadas Parlamentares do CDS-PP, que decorrem no Funchal, Nuno Magalhães afirmou que "da mesma maneira que estranhamos que o secretário-geral do Partido Socialista fale da dívida da Madeira esquecendo-se da dívida que o Partido Socialista deixou ao país, também estranhamos que o dr. Jardim tenha muitas opiniões sobre a dívida do continente, esquecendo-se da dívida que fez e que tem na Madeira".

O líder parlamentar do CDS-PP defendeu que "na Madeira, nos Açores, no Continente, é preciso mudar a forma de fazer política", lamentando que "durante muitos anos, anos demais, foi modelo de governação, governar na despesa, governar na contracção de dívida".

Nuno Magalhães considera que "esse é um modelo que inevitavelmente nos conduziria para o abismo", considerando que o país está "muito lá perto", pelo que é necessário "mudar o paradigma de política" e começar a governar "na poupança, no respeito pelos impostos dos portugueses e, sobretudo, no respeito pelo que deve ser uma ética social que não deixe para trás aqueles que mais precisam".

O deputado do CDS-PP abordou ainda as medidas "tão impopulares quanto necessárias" que a coligação governamental tem em curso, sublinhando que é preciso que todos percebam que para o país poder "recuperar" a soberania perdida "por anos de irresponsabilidade política" tem de ser cumprido o memorando de entendimento com a "troika".

A este propósito, o líder parlamentar garantiu que o grupo "saberá nestas dificuldades estar unido em torno daquilo que é essencial que é o apoio a um Governo que tem tão-só a árdua tarefa de fazer com que Portugal recupere a sua soberania".

As Jornadas Parlamentares do CDS-PP, que terminam na terça-feira, têm como tema "Crescimento económico e ética social".

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM