Estudo

Hormona maternal também ajuda pais a cuidar dos filhos

Hormona maternal também ajuda pais a cuidar dos filhos

A oxitocina, uma hormona essencial para criar laços entre bebés e mães durante o parto, também aumenta nos homens depois de terem filhos e fá-los ter mais empatia, revela um estudo.

Numa experiência conduzida pela universidade de Emory, em Atlanta, Estados Unidos, foi dada a pais recentes a hormona, o que fez aumentar a atividade cerebral nas zonas associadas aos sentimentos de empatia e recompensa.

O principal autor do estudo, publicado esta sexta-feira na revista "Hormones and Behavior", James Rilling, afirmou que a pesquisa sugere que "a oxitocina, conhecida pelo papel na criação de laços sociais, poderá um dia ser usada para normalizar défices na motivação paternal".

"Interessou-nos perceber porque é que alguns pais se envolvem mais a cuidar dos filhos do que outros", acrescentou James Rilling, referindo que para conseguir isso é preciso "um retrato claro da neurobiologia e dos mecanismos neuronais" que estão por trás desse comportamento.

A oxitocina é considerada uma hormona maternal, uma vez que é libertada na corrente sanguínea durante o trabalho de parto e a amamentação e facilita o nascimento, a criação de laços com o bebé e a produção de leite materno.

A equipa de Rilling usou ressonâncias magnéticas para comparar a atividade cerebral de homens com e sem doses de oxitocina, administrada através de um "spray" nasal.

Todos eram pais de crianças entre um e dois anos e a todos foram mostradas fotografias dos filhos, de crianças desconhecidas e de adultos desconhecidos.

Nos que tinham recebido a dose de oxitocina, aumentou a atividade cerebral nas zonas associadas com a empatia e a recompensa, sugerindo que a hormona estimula estes sentimentos e a vontade de prestar atenção aos filhos.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado