Nacional

Marcelo advertido por estacionar em lugar reservado a deficientes

Marcelo advertido por estacionar em lugar reservado a deficientes

Marcelo Rebelo de Sousa foi advertido, publicamente, pelo movimento (d)Eficientes Indignados. No primeiro dia como presidente eleito, estacionou num lugar reservado a pessoas com mobilidade reduzida e conduziu sem cinto de segurança.

"ESSE ESTACIONAMENTO NÃO É SEU", assim mesmo, em maiúsculas, como quem grita na Internet. O movimento (d)Eficientes Indignados não perdoa, em carta aberta, o deslize de Marcelo Rebelo de Sousa, que estacionou o carro num lugar reservado a pessoas com mobilidade reduzida.

As imagens foram captadas pelas câmaras da "SIC", numa reportagem sobre o primeiro dia do novo presidente eleito de Portugal.

"Foi eleito Presidente da República Portuguesa. Será, a partir de dia 9 de Março, a cara, a voz e o punho de um povo com cerca de 900 anos de história. Deve estar radiante e não é para menos. Nós, não estamos nada radiantes, e não é para menos também, lê-se na carta aberta publicada no Facebook daquele movimento.

"Apesar de ser professor catedrático há mais de 20 anos, hoje vemo-nos obrigados a dar-lhe uma aula subordinada ao tema "cidadania e civismo". Só o fazemos porque no primeiro dia após a sua eleição, mostrou uma forte carência de conhecimentos nesse domínio", consideram os (d)Eficientes Indignados.

Estacionar num lugar reservado a deficientes "é grave para qualquer cidadão", diz o movimento. "Inqualificável para um futuro Presidente da República", acrescenta.

A equipa do presidente eleito explicou ao JN que se tratou apenas de um momento para a reportagem da "SIC", tendo ficado um polícia com a chave do carro.

A infração ao artigo 50º do Código da Estrada relativo à proibição de estacionamento ficou registada. "O Professor terá de pagar uma coima de 60 a 300 euros", diz o movimento, que fica, também, a aguardar "um pedido de desculpas a todos os portugueses, em particular àqueles que vivem com diversidade funcional".

A mesma reportagem mostra, também, Marcelo Rebelo de Sousa a conduzir sem cinto de segurança.

Conteúdo Patrocinado