Nacional

Aluna encontrada inconsciente não foi vítima de trauma

Aluna encontrada inconsciente não foi vítima de trauma

A aluna de 11 anos que foi encontrada inconsciente numa escola de Monte Abraão, concelho de Sintra, teve morte cerebral em consequência de uma paragem cardíaca, revelou, esta sexta-feira, a direção clínica dos Centros Hospitalares de Lisboa Norte.

A autópsia ao corpo permitiu perceber que a criança sofreu uma paragem cardíaca que evoluiu para morte cerebral e que "não havia qualquer sinal de trauma, nem foi esta a causa de morte".

A menina morreu na quinta-feira no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, onde deu entrada após ter sido encontrada inconsciente na segunda-feira, numa escola básica do agrupamento de escolas Miguel Torga, Monte Abraão (Sintra), onde estudava.

A direção da escola explicou, em comunicado, que a aluna morreu "na sequência de um acontecimento repentino ocorrido na escola, durante o primeiro intervalo da tarde de segunda-feira".

O Ministério da Educação afirmou que a aluna teve assistência médica ainda na escola e foi transportada de urgência para o Hospital de Santa Maria, onde permaneceu em coma na unidade de cuidados intensivos, acabando por morrer na quinta-feira.

Segundo a direção clínica dos CHLN, a aluna "foi vítima de paragem cardíaca na sua escola" e a situação "evoluiu para morte cerebral devido ao tempo prolongado de paragem cardíaca".

Recomendadas

Outros conteúdos GM

Conteúdo Patrocinado