Um dia dos diabos
25.01.2010
Mário Crespo

Nos bancos há um centro nervoso onde tudo se decide. Chamam-lhe o Trading Room. É um mundo de ecrãs de plasma com colunas de números abstractos em páginas de Excel onde nunca se fala de milhões.

Está tudo em poucos dígitos meticulosamente metidos em rectângulos. Três casas à esquerda do ponto decimal vão das unidades às centenas. Do outro lado, há décimas, centésimas e milésimas. Abstractos os números, concretos os valores. São milhares de milhões. Por vezes são milhões de milhões.

Operadores com um clique do rato fazem ajustamentos nas variações que vão surgindo, induzidas por murmúrios digitais que chegam de Nova Iorque a Moscovo. Raramente há pânico no Trading Room. Está (quase) tudo previsto. Há paramentos hirtos e muito pouco lugar para criatividades. Um clique numa coluna eleva alguns milésimos os dígitos que, quase à velocidade da luz, aparecem fardados de centavos de Euro nas facturas de uma qualquer parcela mensal de empréstimo e quase nem se notam. Afinal, já se sabia que o spread era variável e que do spread sai tudo. Dos custos do banco aos lucros.

Normalmente as coisas acontecem com a banalidade de um monótono jogo de vídeo online. Muito, muito, gradualmente. Mas quinta-feira 14, deste mês, foi um dia dos diabos. Houve pânico. Os sinais vieram de Hong Kong a Singapura a partir das oito da manhã. Diziam que o negócio da compra e venda de dinheiro estava a correr mal. Os fornecedores habituais estavam a subir o preço da mercadoria. Muito. Mesmo para estes dias de crise. Cliques frenéticos do rato já não conseguiam equilibrar os rectângulos Excel com toques nas milésimas. Vieram supervisores mexer nas casas à esquerda dos pontos decimais. Alteraram as dezenas dos dígitos a ver se tudo ficava na mesma. Ficou num segundo. No segundo seguinte, ficou tudo desequilibrado outra vez. "As CDS estão a disparar". "124,365 tenho aqui na melhor oferta". E continuaram por aí fora saltando dezenas de pontos. De 80 na semana passada para mais de 140 hoje. E as prestações de milhares de pessoas começaram a subir. Janeiro vai ser um mês dos diabos para os rendimentos a recibo verde contados em salários mínimos onde o clique dos ratos não equilibra contas. 14 de Janeiro de 2010. Início do pânico: começaram as negociações para o Orçamento do Estado. Inconclusivas, inadequadas, insuficientes. As empresas estrangeiras, cujo negócio é avaliar riscos para o mercado que fixa com uma mão invisível as Credit Default Swaps, estiveram atentas ao que a Reuters e a CNBC foram relatando em várias línguas: em Lisboa gasta-se muito e paga-se mal. De Berlim ao Dubai há cliques nos rectângulos das linhas onde se lê "Portugal" e onde hoje há números quase iguais aos da Irlanda que amanhã serão parecidos com os da Grécia. E que dizem que este vai ser mesmo um ano dos diabos.

ver todos os artigos do autor
 



Presidente da Câmara de Olhão, António Pina, num protesto contra as demolições previstas na Ria Formosa (25 de abril de 2015)
foto LUÍS FORRA/LUSA

Camaleões levam tribunal a suspender demolições na ilha do Farol

 
O Tribunal Administrativo e Fiscal de Loulé aceitou a providência cautelar apresentada pela Câmara de Olhão em defesa do camaleão, o que, para já, suspende o processo de demolições na ilha do Farol.
 
 
Cartoon Elias o sem abrigo de R. Reimão e Aníbal F. 23-05-2015

Salgado acusa BdP de não ter "imparcialidade e isenção"

O antigo presidente do BES, Ricardo Salgado, acusou o Banco de Portugal de falta de imparcialidade e isenção para julgar o caso BES/GES, depois das notícias sobre a acusação do supervisor a 15 gestores do banco.

"Ser modelo fazia-me sentir vazia", diz Cara Delevingne

Manequim britânica de 22 anos revela estar insatisfeita com mundo da moda e vai apostar numa carreira em Hollywood.

Primeiro-ministro irlandês saúda participação de jovens no referendo

O primeiro-ministro irlandês, o democrata-cristão Enda Kenny, saudou os milhares de jovens emigrantes e deslocados que esta semana regressaram ao país para votar no referendo sobre o casamento homossexual.

Schumacher está a "fazer progressos" na recuperação

A porta-voz de Michael Schumacher disse que o alemão, sete vezes campeão mundial de Fórmula 1, está a "fazer progressos" na recuperação do grave acidente de esqui, sofrido a 29 de dezembro de 2013.

Bombardeamento na Síria mata 14 pessoas

Pelo menos 14 civis morreram, incluindo seis crianças, num bombardeamento do regime sírio na cidade oriental de Deir el-Zur, revelou o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Maior participação do "voto jovem" pode marcar diferença em Espanha

Os partidos espanhóis apontaram as baterias dos últimos dias de campanha para as municipais e autonómicas para tentar captar o voto dos indecisos, mas poderá ser o "voto jovem" a marcar a diferença na votação de domingo.

Tailândia liberta estudantes que criticaram junta militar

A polícia tailandesa libertou 38 estudantes detidos na sexta-feira por pedirem eleições e criticarem a junta militar, no dia em que se assinalou o primeiro aniversário do golpe de Estado.

Inquérito

O Benfica é um justo campeão nacional?

Sim
Não

Dossiês

Fisco sem controlo
Fisco sem controlo
A detenção de Sócrates
A detenção de Sócrates
Português atual
Português atual

Continente Uva d'Ouro 2015 - JN 300x100
PEPE Jornadas Empreendedorismo Turismo - JN Destaque
PEPE Fazemos Bem - JN Destaque300x100
NOS ConferênciaPrémioInovaçãoNOS - JN Destaque
BT Edições Multimédia
 
1ª Liga
1|Benfica82
2|FC Porto82
3|Sporting73
4|Sp. Braga55
5|V. Guimarães52
6|P. Ferreira47
7|Belenenses45
8|Marítimo44
9|Nacional44
10|Rio Ave43
11|Moreirense40
12|Estoril37
13|Boavista34
14|Académica29
15|V. Setúbal29
16|Arouca28
17|Gil Vicente23
18|Penafiel22

Serviços


22º 15º
HOJE, 23 de Maio

Amanhã23º |16º
Segunda23º |16º
Terça23º |16º
Quarta23º |16º

 



Global Notícias - Media Group S.A. Todos os direitos reservados
Termos de Uso e Política de Privacidade |  Ficha Técnica |  Quem Somos |  Contactos |  Webmaster This website is ACAP-enabled