JN

A Norte algo de novo

Publicado

 

Em 1987, as universidades de Aveiro, Minho, Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), Porto e a Universidade Católica, através do seu Centro no Porto (UCP), uniram-se para criar a Associação das Universidades da Região Norte (AURN). Os propósitos eram óbvios: coordenar actividades, promover iniciativas conjuntas, contribuir para o desenvolvimento da região. A inclusão de Aveiro, oficialmente pertencente à região do Centro, evidenciava quais eram as suas relações mais fortes. A AURN era um acto contra a corrente, voluntarista, revelador de uma visão partilhada pelos que, à altura, dirigiam aquelas instituições. Uma visão de quem dirigia, longe de ser assumida pelas estruturas. Desde a sua criação, a AURN foi incapaz de criar uma dinâmica que se aproximasse, remotamente que fosse, dos desígnios para que havia sido instituída. Fosse por razões formais (quem vinculava a quem), fosse por falta de incentivos (ou melhor, por falta de selectividade dos incentivos, numa altura de dinheiro farto), fosse por hesitações em assumir a força que tinha, a AURN nunca teve a influência que poderia ter tido, não alcançando o reconhecimento que, à partida, parecia natural. De herança ficam uns quantos cursos de Verão, alguns estudos e projectos, uma ou outra tomada de posição circunstancial e pouco mais. Há uns 6 anos, a UMinho deu, na prática, por finda a Associação, por entre acusações à UPorto de prosseguir uma política de mimetização de iniciativas alheias que as esvaziavam, dificultando o seu sucesso. Pelo meio tinham ficado tentativas fracassadas de criar cursos comuns (às vezes "apunhalados", em cima da hora, pelos poderes fácticos, a coberto de regras de decisão que nem os reitores controlavam), promover estudos conjuntos, colocar em rede bibliotecas ou partilhar serviços. Nesse período, a UPorto consagrou-se como a maior universidade do país (até Lisboa não ter gostado e fundido duas das suas universidades), o que não obstou que Aveiro e Minho tenham encontrado o seu espaço de especialização e afirmação. Sem nenhum juízo de valor sobre o motivo invocado pela UMinho para abandonar a AURN, tenho para mim que sobretudo por erros próprios, de governação e estratégia, e alguma cupidez da UP, a UTAD foi o elo mais fraco, perdendo muita da sua capacidade de diferenciação (a minha ligação à UCP impede-me de qualquer comentário que envolva esta instituição).

Tudo somado, a influência da AURN no destino das universidades do Norte terá sido diminuta. Aquelas evoluíram de acordo com os seus planos, com as suas ambições, competências e capacidades de influência e governação. A AURN não foi capaz de criar uma dinâmica que fizesse a diferença e preenchesse o vazio deixado por uma tutela que largou as universidades à sua sorte, à lei do mais forte, não evitando redundâncias, empurrando as instituições mais fracas para a margem da qualidade mínima como forma de sobrevivência.

Diz-se que a necessidade aguça o engenho. Os cortes orçamentais vieram para ficar, as regras de acesso aos fundos anunciam-se mais exigentes. Qualquer que seja a razão, 6 anos depois de a AURN ter sido declarada em coma irreversível, as universidades estatais do Norte (é pena que a burocracia impeça Aveiro de ser parte!) criaram um consórcio para aprofundar a cooperação na formação, investigação e ligação ao tecido económico. Oxalá tenha sucesso. Talvez valha a pena olhar para trás, ver o que falhou na AURN, tirar ensinamentos que evitem a repetição de erros. Talvez a AURN possa, afinal, ser útil...

Eo Norte bem precisa de histórias de sucesso na cooperação em que o que um ganha não seja conseguido à custa de outros, num jogo de soma nula de que o conjunto nada aproveita e que, pelo contrário, pode gerar uma concorrência destrutiva. De que vale um concelho captar, à custa de baixar as taxas, investimento que de outro modo iria para o vizinho? Guimarães anunciou uma vitória, desse tipo, um destes dias. Pírrica? Paços de Ferreira e o caso IKEA são uma lição. Por uma vez, as universidades dão o exemplo. Como deveria ser, sempre. Finalmente, a Norte algo de novo.

ImprimirImprimirEnviarEnviarEstatísticas
Partilhar
 [?]
 
 
 

Andrew Garfield volta a vestir a pele do Homem-Aranha

VER VÍDEO




Vândalo que andava a furar pneus era... um cão
Os habitantes de Brampton, uma vila inglesa, ficaram surpreendidos quando descobriram que o "misterioso vândalo" que andava...

O Benfica chega à final da Liga Europa?  info

Sim
Não
 

 
foto Global Imagens/Arquivo

Autarca de Gaia acredita que vai estabilizar a dívida de 252 milhões

A Câmara de Gaia fechou 2013 com uma dívida de 252,6 milhões de euros, mas o presidente Vítor Rodrigues assume estar "otimista" e assegura que irá fazer o "trabalho duro" de "estabilizar o funcionamento" do município.

   
 
Mais Notícias

México vai homenagear Gabriel García Márquez

O México presta, na próxima segunda-feira, homenagem a Gabriel García Márquez no Palácio das Belas Artes, o principal recinto cultural do país, revelou o presidente do Conselho Nacional para a Cultura e Artes, Rafael Tovar. Bandeiras estão a meia-haste e país cumpre três dias de luto.

PSP efetuou 18 detenções no Porto, na Maia e em Valongo

A PSP do Porto anunciou a detenção de 18 indivíduos no âmbito de diversas operações de prevenção e combate à criminalidade, bem como de fiscalização rodoviária, que decorreram no Porto, na Maia e em Valongo.

"Ambiente de euforia difusa"

INÊS FERNANDES
Nasceu em Lisboa, em 1960, e com quase 14 anos viveu intensamente a "Revolução dos Cravos". Manuel João Ramos recorda que, na madrugada do dia 25, "amigos da minha família telefonaram e disseram que os militares estavam a fazer um golpe contra o Governo". "Ficámos a ouvir rádio das 6 até às 8 da manhã, em ambiente de euforia difusa".

Mariano Rajoy "consternado" com acidente de pesqueiro português

O presidente do Governo espanhol, Mariano Rajoy, manifestou-se "consternado" pelo acidente do pesqueiro português "Mar Nosso" que naufragou nas Astúrias provocando a morte três portugueses, enquanto outros dois estão ainda desaparecidos.

Ataque a base da ONU no Sudão do Sul fez 20 mortos

Pelo menos 20 pessoas morreram e outras 70 ficaram feridas quando homens armados invadiram uma base das Nações Unidas em Bor, Sudão do Sul, revelou a embaixadora norte-americana na ONU.

A melhor Páscoa de sempre para o setor hoteleiro

MIGUEL GONÇALVES
A Páscoa deste ano é a melhor desde o início da crise, para a maioria das unidades hoteleiras portuguesas. Do Norte ao Sul, há registo de ocupações a 100%, sobretudo graças aos turistas espanhóis.


Dossiês

Viseu a património da humanidade
Viseu a património da humanidade

/Dossies/dossie.aspx?dossier=Viseu a património da humanidade

40 anos do 25 de Abril
40 anos do 25 de Abril

/Dossies/dossie.aspx?dossier=40 anos da revolução de abril

Português atual
Português atual

/Dossies/dossie.aspx?dossier=Português atual


Cartoon Elias o sem abrigo, de R. Reimão e Aníbal F

Especiais

Roller Derby: Guerreiras sobre patins

Roller Derby: Guerreiras sobre patins

Multimédia
Blogues
Inquérito



Continente UVA D'OURO 2014
Empreendedorismo
Amazing Romance in Thailand - JN Destaque (Participação)
fbem gif

banner Barómetro Tomar o pulso ao país
Economia Social
Últimas
+Lidas
+Comentadas
+Pesquisadas
 
 


Liga Zon Sagres
Classificação
Resultados
Próxima Jornada
1 - Benfica (70)
2 - Sporting (63)
3 - FC Porto (55)
4 - Estoril (49)
5 - Nacional (41)
6 - Sp. Braga (35)
7 - V. Setúbal (34)
8 - Marítimo (34)
9 - Académica (33)
10 - V. Guimarães (31)
11 - Rio Ave (31)
12 - Arouca (28)
13 - Gil Vicente (27)
14 - Belenenses (24)
15 - P. Ferreira (23)
16 - Olhanense (21)

Serviços


TEMPO Dados fornecidos por Wunderground
  • 19ºC
  • 11ºC
  • HOJE
  • 17ºC
  • 11ºC
  • AMANHÃ

 

Media Lab
destaque conselhoeditorial


Controlinveste Conteúdos, S.A. Todos os direitos reservados
Termos de Uso e Política de Privacidade |  Ficha Técnica |  Quem Somos |  Contactos |  Webmaster This website is ACAP-enabled