Boa noite!
21.10.2014
Alberto Castro

"Boa noute!". Quem tem mais de cinquenta anos lembrar-se-á do "Museu do Cinema", um programa de televisão dedicado ao cinema mudo. Apresentado por António Lopes Ribeiro dedicava-se à divulgação de obras e actores da fase pré-sonora do cinema.

Foi aí que nomes como Charlie Chaplin, Buster Keaton, Laurel e Hardy se tornaram familiares para muitos de nós. O interesse resultava quer da forma, ao mesmo tempo descontraída e pedagógica, como o apresentador abordava os diferentes temas quer do facto de os filmes serem acompanhados, por improvisos ao piano, pela outra figura do programa, o maestro António Melo. A este não se lhe ouvia nunca uma palavra, a não ser quando António Lopes Ribeiro o incitava "Melo diz boa noite aos senhores espectadores". Obediente, o maestro, sempre impecável no seu fato de músico de orquestra, lá largava uma "boa noute" que todos jurávamos ser a única coisa que sabia dizer. Criou-se o mito de que António Melo seria mudo (confesso que nunca cheguei a saber ao certo) o que, por sua vez, também alimentava a procura do programa: será verdade ou não? Será hoje que ele vai dizer mais algumas palavras? Essa expectativa, mais a qualidade do apresentador, fizeram do Museu do Cinema um sucesso de audiências.

Não sei se António Melo terá inspirado António Costa. À primeira vista, dir-se-ia que não: Costa é eloquente, não parece dado ao improviso e não se lhe conhecem dotes musicais (embora já tenha ouvido alguns, seguristas e não só, afirmar que é um grande músico). E, no entanto, quando instado pelos jornalistas a dizer alguma coisa aos portugueses tem-se limitado, uma e outra vez, a repetir "boa noite", qual António Melo da política. Tal como com António Melo, esse quase silêncio dá-lhe popularidade. Um governo detestado por muitos, em que se pressentem dissensões internas e que, ainda, se afadiga a dar tiros nos pés, é um seguro de vida para qualquer oposição. Quanto menos se disser melhor: eles enterram-se todos os dias. E quanto menos se disser, menos nos comprometermos, o que é também a melhor táctica para esvaziar a esquerda radical e capitalizar, pelo menos nas sondagens, os descontentes. Uma táctica de risco: as sondagens não ganham eleições.

Exagero? Então o PS não anunciou que votará contra o orçamento? Anunciou. Juraria que, se a pergunta tivesse sido feita a António Costa, a resposta teria sido "votamos contra. Boa noite!", acrescentando duas palavras ao discurso. É verdade que Ferro Rodrigues admitiu não haver grande margem para descer impostos se as bases do Estado social forem para manter e que Vieira da Silva acrescentou umas ideias genéricas sobre o que distinguiria o PS. O suficiente para não se comprometerem com nada. É que, mesmo se têm toda a razão quando afirmam que os nossos problemas - e os dos outros, acrescente-se - dependem de uma inflexão na política europeia, é tempo de perceber como estão a pensar conseguir que tal suceda.

Atáctica está a ser muito proveitosa nas sondagens e pode até acontecer que seja bem-sucedida nas urnas. Há um pequeno detalhe: o país não se esgota no PS. Se pensasse no país, o PS deveria aproveitar a discussão do Orçamento para o negociar e negociar, não se limitando a reclamar, a antecipação das eleições do próximo ano. Não, não seria com o actual Executivo que o PS negociaria. A postura do Governo, ao longo do mandato, não o justifica. A negociação seria com o presidente da República. Por mais institucionalista que este seja, é economista e político não podendo ignorar o que entra pelos olhos dentro: havendo mudança de Governo, como tudo indica, a manutenção do calendário eleitoral colide com os prazos de elaboração do orçamento e compromete a eficácia política. A antecipação é um imperativo patriótico e conviria que o PS o entendesse. Talvez já seja tarde de mais. Boa noite?

ver todos os artigos do autor
 

Calor de outubro com castanhas assadas na praia

VER VÍDEO




Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos
foto João Manuel Ribeiro/Global Imagens

Hospital Pedro Hispano esteve uma hora sem luz

JN
Uma falha no abastecimento de energia elétrica por parte da EDP deixou, terça-feira à noite, o Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos, "às escuras" durante cerca de uma hora.
 
 
Cartoon Elias o sem abrigo de R. Reimão e Aníbal F. 22-10-2014


Inquérito

O Orçamento de 2015 é eleitoralista?

Sim
Não

Dossiês

Viseu a património da humanidade
Viseu a património da humanidade
Português atual
Português atual

EntrepostoCRP SemanaCliente - JN 300x100
Unibanco - JN 300x100
Empresas na Caixa 300x100 JN
BT Edições Multimédia
Fazemos Bem JN 300x100
Ocasião/Zaask - Destaque 300x100 DN
 

Futebol

Vídeos da Liga
Liga Zon Sagres
Classificação
Resultados
Próxima Jornada
1 - Benfica (19)
2 - FC Porto (15)
3 - V. Guimarães (14)
4 - Sporting (13)
5 - Marítimo (12)
6 - Rio Ave (11)
7 - Sp. Braga (11)
8 - P. Ferreira (11)
9 - Belenenses (11)
10 - V. Setúbal (8)
11 - Académica (7)
12 - Moreirense (7)
13 - Arouca (7)
14 - Boavista (7)
15 - Estoril (6)
16 - Nacional (5)
17 - Penafiel (4)
18 - Gil Vicente (2)

Serviços


TEMPO Dados fornecidos por Wunderground

 

banner Barómetro Tomar o pulso ao país
Economia Social


Controlinveste Conteúdos, S.A. Todos os direitos reservados
Termos de Uso e Política de Privacidade |  Ficha Técnica |  Quem Somos |  Contactos |  Webmaster This website is ACAP-enabled