JN
Diretor Interino
Alfredo Leite

 
 
 
FERRAMENTAS
ESTATÍSTICAS
Patrocínio

Festa de S. Paio sem condições

Murtosa

Publicado

ZULAY COSTA
 

Quem vai à festa do S. Paio, e são milhares, que termina hoje na Torreira, "desenrasca-se" como pode. A regra abarca desde a permanência em campismo selvagem até à descoberta de uma casa de banho limpa e desocupada.

Este ano, as queixas agravaram-se devido ao encerramento do Parque de Campismo para obras e, à semelhança das condições atmosféricas, "choveram" de todos os lados quando o JN visitou o local.

Teresa Fonseca, uma feirante de Oliveira de Azeméis que acampou por estes dias na Torreira para vender utensílios para o lar, tinha, ontem, a insatisfação estampada no rosto. "Este ano está complicado. Antes íamos tomar banho ao Parque de Campismo, mas agora tivemos de improvisar um chuveiro com um motor e uma mangueira". "É só para desenrascar", conta o marido, António Fonseca, enquanto lamenta ter de acrescentar esta dificuldade aos problemas do mau tempo e da crise financeira.

O proprietário de um café, que pediu anonimato, reforça as críticas: "A festa cresceu mas as infra-estruturas de apoio, policiamento e higiene não acompanharam. Os poucos sanitários públicos que existem não são suficientes para tanta gente e fecham cedo. As pessoas fazem filas intermináveis no café, estragam as casas de banho e sujam tudo. A história repete-se todos os anos".

Fernanda Lopes, que vende doces no S. Paio há 33 anos, acrescenta reclamações. "Alguns moradores queixam-se porque as ruas laterais estão fechadas de um lado e o socorro é mais difícil", diz.

Quem vem para se divertir, também sente dificuldades. Alice Cunha e família deslocaram-se de Pardilhó e assentaram arraiais num terreno baldio junto às habitações, onde largas dezenas de tendas se amontoam. Chegaram sábado, partem hoje. Enquanto ficarem, irão confeccionar as refeições junto à tenda de campismo onde dormem e socorrem-se "das casas de banho dos cafés", mas "as filas são enormes". Tomar banho é um regresso ao passado e apenas possível com "bacias de água que vamos buscar a uma fonte". Bom mesmo, era "ter mais casas de banho públicas".

Ler Artigo Completo (Pág.1/2) Página seguinte
 
 

Comentários
Reacções no Twitter
Comentar

Caracteres disponíveis: 750

Receber alerta de resposta Aparecer como Anónimo
Lembrar dados Pessoais

Nota: Os comentários deste site são publicados sem edição prévia e são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. Consulte a Conduta do Utilizador, prevista nos Termos de Uso e Política de Privacidade. O JN reserva-se ao direito de apagar os comentários que não cumpram estas regras. Aparecer como anónimo - os dados (nome e-mail) são ocultados. Os comentários podem demorar alguns segundos para ficarem disponíveis no site.

Se tem conta, faça Login

Email

Password

Legenda

Utilizador RegistadoUtilizador Registado    Utilizador Não RegistadoUtilizador Não Registado




 
 
Tem alguma informação para corrigir ou para acrescentar a este conteúdo?
Escreva-nos
 
Multimédia
Blogues
Inquérito



Continente Uva d'Ouro - JN 300x100
BT Edições Multimédia

Ocasião/Zaask - Destaque 300x100 DN
Últimas
+Lidas
+Comentadas
+Pesquisadas
 

Futebol

Vídeos da Liga
Liga Zon Sagres
Classificação
Resultados
Próxima Jornada
1 - Benfica (13)
2 - V. Guimarães (11)
3 - FC Porto (11)
4 - Rio Ave (10)
5 - Belenenses (10)
6 - Sporting (9)
7 - Marítimo (9)
8 - Sp. Braga (8)
9 - Arouca (7)
10 - P. Ferreira (5)
11 - Estoril (5)
12 - Moreirense (5)
13 - Nacional (4)
14 - V. Setúbal (4)
15 - Boavista (4)
16 - Académica (3)
17 - Penafiel (3)
18 - Gil Vicente (1)

Serviços


TEMPO Dados fornecidos por Wunderground
  • 23ºC
  • 15ºC
  • HOJE
  • 24ºC
  • 16ºC
  • AMANHÃ

 

destaque conselhoeditorial
banner Barómetro Tomar o pulso ao país
Economia Social


Controlinveste Conteúdos, S.A. Todos os direitos reservados
Termos de Uso e Política de Privacidade |  Ficha Técnica |  Quem Somos |  Contactos |  Webmaster This website is ACAP-enabled