País > Porto > Porto
 
 

"O meu pai dizia que o mar tem duas caras"

 | 03.01.2011 - 00:00
O meu pai dizia-me para eu nunca virar as costas ao mar, que o mar é traiçoeiro". Pedro Silvério perdeu o pai, Manuel Silvério, em Fevereiro passado quando uma tragédia se abateu ao largo da praia da Areia Branca, perto de Peniche e a escassos quilómetros de Ribamar, a povoação de onde eram oriundos os quatro pescadores que perderam a vida no naufrágio do barco "Fábio e João".
 

Manuel Silvério, Basílio Fonseca, Amândio Pinto e José Martinho eram pescadores experientes, sabiam nadar, e diz-se que o mar até estava navegável nesse dia em que saíram para pescar robalo. Mas até hoje, ninguém sabe o que afundou aquele barco moderno, em fibra de vidro, quase dez metros de comprimento.

"Só quem lá estava é que saberia mas infelizmente já cá não está para contar a história", lamenta o filho de Manuel Silvério. " De um momento para o outro pode ter vindo uma onda maior que ninguém estava à espera e o barco estar mal posicionado", prossegue.

"Às vezes colam-se as nuvens à água e o mar eleva-se. Isso é que apanha as pessoas e os barcos de surpresa. O mar lá pegou naquilo e virou. Foi um pandemónio", aponta, por seu turno, Herófilo Rato, de 62 anos, o cunhado de José Martinho. 

A pequena povoação de Ribamar tem uma forte tradição piscatória e são vários os naufrágios ali sofridos nas últimas décadas. "Praticamente todas as casas daqui têm um pescador", assegura Herófilo Rato, também ele com mais de 40 anos dedicados ao mar.

O jovem Pedro Silvério confirma essa visão mas lembra que o seu pai não queria que ele seguisse esses passos.  "Ele não queria que eu fosse pescador, dizia que era o maior desgosto que lhe podia dar".

Pedro fez-lhe a vontade mas como o mar lhe corria nas veias alistou-se na Marinha, o que o pai aceitou de bom grado. "É completamente diferente estar num navio com 100 metros do que estar num barco com 10", aponta, confessando, todavia, que a morte do seu pai o levou a mudar a sua relação com o mar. "Ganhei-lhe mais respeito", diz. "O meu pai dizia-me que o mar tem duas caras e que era bom que eu só visse só a cara boa".

 
 

Comentários
Reacções no Twitter
Comentar

Caracteres disponíveis: 750

Receber alerta de resposta Aparecer como Anónimo
Lembrar dados Pessoais

Nota: Os comentários deste site são publicados sem edição prévia e são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. Consulte a Conduta do Utilizador, prevista nos Termos de Uso e Política de Privacidade. O JN reserva-se ao direito de apagar os comentários que não cumpram estas regras. Aparecer como anónimo - os dados (nome e-mail) são ocultados. Os comentários podem demorar alguns segundos para ficarem disponíveis no site.

Se tem conta, faça Login

Email

Password

Legenda

Utilizador RegistadoUtilizador Registado    Utilizador Não RegistadoUtilizador Não Registado




 
 
Tem alguma informação para corrigir ou para acrescentar a este conteúdo?
Escreva-nos
 
Fazemos Bem JN 300x100
BT Edições Multimédia
Ocasião/Zaask - Destaque 300x100 DN
JN Descontos Geral 300x100
 

Futebol

Vídeos da Liga
Liga Zon Sagres
Classificação
Resultados
Próxima Jornada
1 - Benfica (19)
2 - V. Guimarães (17)
3 - FC Porto (15)
4 - Sporting (13)
5 - Marítimo (12)
6 - Rio Ave (11)
7 - Sp. Braga (11)
8 - P. Ferreira (11)
9 - Belenenses (11)
10 - V. Setúbal (8)
11 - Académica (7)
12 - Moreirense (7)
13 - Arouca (7)
14 - Boavista (7)
15 - Estoril (6)
16 - Nacional (5)
17 - Penafiel (4)
18 - Gil Vicente (2)

Serviços


TEMPO Dados fornecidos por Wunderground
  • 29ºC
  • 14ºC
  • HOJE
  • 24ºC
  • 16ºC
  • AMANHÃ

 

banner Barómetro Tomar o pulso ao país
Economia Social


Controlinveste Conteúdos, S.A. Todos os direitos reservados
Termos de Uso e Política de Privacidade |  Ficha Técnica |  Quem Somos |  Contactos |  Webmaster This website is ACAP-enabled