Gente

Charlie Sheen tentou vacina experimental contra a sida

Charlie Sheen tentou vacina experimental contra a sida

O ator deixou de tomar, temporariamente, os medicamentos para controlar o vírus do VIH e foi à procura de tratamento alternativo no México, mas a sua carga viral começou a subir.

Na entrevista que concedeu a Dr. Oz, e que foi para o ar nos Estados Unidos na terça-feira, Charlie Sheen admitiu ter deixado de tomar, temporariamente, os medicamentos para controlar o vírus do VIH. "Há cerca de uma semana que não tomo os meus medicamentos. Estou a arriscar a minha vida? Claro. E depois? Nasci morto", atirou.

O ator de 50 anos interrompeu o tratamento para poder tomar uma vacina experimental fabricada no México. Mas, consequentemente, os seus níveis de VIH no sangue subiram. "Tenho feito análises ao sangue todas as semanas e descobri que os números voltaram a subir".

Tanto Dr. Oz como o médico de Sheen, Dr. Robert Huizenga, criticaram o tratamento que ele recebeu do mexicano Dr. Sam Chachoua, que não está autorizado a praticar medicina nos Estados Unidos.

Dr. Oz teve, aliás, oportunidade de falar com Chachoua pelo telefone, uma conversa que se revelou perturbadora. "Retirei-lhe algum sangue e injetei-o em mim mesmo. E disse 'Charlie, se eu não sei o que estou a fazer, então estamos os dois em apuros não é?", ouve-se num excerto.

Entretanto, o agente de Charlie Sheen, Mark Burg, avançou à revista "People" que a estrela da série "Dois Homens e Meio" voltou a tomar os medicamentos a 8 de dezembro, logo após esta entrevista ser gravada. "Ele tentou uma cura de um médico no México, mas assim que os níveis começaram a subir, ele voltou a tomar os seus medicamentos", garantiu.

Recomendadas

Outros conteúdos GM

Conteúdo Patrocinado