Gente

Ex-namorado publicou vídeo de assessora parlamentar na Net

Ex-namorado publicou vídeo de assessora parlamentar na Net

A assessora parlamentar Denise Rocha, mais conhecida como o "Furacão da CPI", afirmou que o homem que aparece com ela no vídeo íntimo, publicado na última semana, foi o responsável pelo divulgação das imagens na Internet. "Ele vai pagar por isso", avisou.

Segundo Denise Rocha, o vídeo íntimo foi gravado em 2006, no momento em que acordava. "Foi uma pessoa de seis anos atrás que fez essa maldade comigo. Isso pode ser visto no vídeo, eu estava acordando. Ele vai pagar por isso", disse ao jornal "Extra", sem, no entanto, revelar a identidade do ex-namorado.

"Eu sou advogada, não nasci ontem nem me formei ontem. Estou tranquila. Ele expôs a minha intimidade. É dele que eu quero ir atrás", acrescentou.

A assessora parlamentar reiterou que o vídeo foi gravado fora das dependências do Senado brasileiro, desmentindo os boatos da semana passada. "Eu tinha que ser demitida ontem se o vídeo fosse nas dependências do Senado. Eu não sou louca. Sou uma advogada. Não faria uma loucura dessa", disse Denise Rocha.

"Não estudei e me formei para acabar numa palhaçada dessas. Como eu vou fazer isso no Senado, para perder o meu emprego e depois sofrer um processo? O povo não para e pensa nisso", acrescentou.

Denise teve de tirar férias para não alimentar a polémica em torno do vídeo íntimo. A assessora, no entanto, afirmou que ainda se considera funcionária do gabinete do senador Ciro Nogueira, do Partido Progressista.

"Primeiro, eu tinha sido demitida. Agora, não fui mais demitida. Está uma coisa meio solta. Então como eu vou procurar outro emprego?", perguntou.

"O senador pode falar que eu sou celebridade, mas sabe a profissional que eu sou. Nunca dei trabalho naquele gabinete, pelo contrário, só ajudei. Sempre dei o apoio jurídico necessário", disse Denise Rocha.

Recomendadas

Outros conteúdos GM

Conteúdo Patrocinado