Política

BE lamenta consenso da "troika" com Governo para aprofundar cortes

BE lamenta consenso da "troika" com Governo para aprofundar cortes

O Bloco de Esquerda disse esta terça-feira que a 'troika' espera aprofundar cortes orçamentais em Portugal, e tem mantido com o Governo um "blind date" (encontro às cegas) sobre o futuro do país.

"A 'troika' não falou acerca do Governo, o Governo, como se viu ontem, não falou acerca da 'troika'. Isto é um 'blind date', vamos ver o que sai daqui", declarou o deputado bloquista Luís Fazenda, em declarações aos jornalistas no parlamento.

O deputado do BE falava no final de uma reunião de cerca de uma hora e meia tida no parlamento entre a comissão eventual de acompanhamento do programa de assistência financeira e os representantes da 'troika' (Banco Central Europeu, Fundo Monetário Internacional e Comissão Europeia).

"Há uma espécie de expectativa de aquisição prolongada de todos os cortes que foram feitos, de toda a política de austeridade realizada, com expectativas de que ela se mantenha no futuro e venha inclusivamente a agravar", alertou Luís Fazenda no final do encontro.

Para o Bloco, há uma "pressão muito forte" da 'troika' para, neste "sprint final do programa dito de ajustamento", fazer com que "todos os cortes que já foram realizados sejam não só garantidos como aprofundados".

Os elementos da 'troika', disse ainda Fazenda, tiveram no encontro com os deputados uma "reação muito dura" para com o manifesto assinado por economistas portugueses e posteriormente por especialistas internacionais reclamando a reestruturação da dívida soberana portuguesa.

O BE propôs que a reunião de hoje da comissão parlamentar de acompanhamento do programa de resgate, com membros da 'troika', decorresse à porta aberta, mas todos os partidos votaram contra a proposta.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM