Política

Governo fecha sete embaixadas

Governo fecha sete embaixadas

O Governo vai fechar, a partir de Janeiro o próximo ano, sete embaixadas em Malta, Andorra, Letónia, Estónia, Lituânia, Quénia e Bósnia e eliminar cinco vice-consulados na Alemanha e França. Além disso, deixarão de existir os cargos de embaixador da UNESCO e da OSCE, que passarão a ser assegurados pelos diplomatas colocados em Paris e em Viena, respectivamente.

O anúncio da reforma da rede diplomática e consular foi feito esta manhã, quarta-feira, pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, ao ser ouvido no Parlamento, no âmbito da discussão na especialidade do Orçamento de Estado para 2012.

Os serviços da embaixadas que vão fechar passam a ser feitos por representações diplomárticas de países vizinhos. A saber: Malta por Roma, Itália; Andorra por Madrid, com consulado em Barcelona, Espanha; Letónia por Estocolmo, Suécia; Estónia por Helsínquia, Finlândia; Lituânia por Copenhaga, Dinamarca; Quénia por Maputo, Moçambique; Bósnia-Herzegovina por Belgrado, Sérvia.

Portas justificou essa "desactivação temporária" de embaixadas com a necessidade do Ministério dos Negócios Estrangeiros "acompanhar o esforço que é pedido as todos o portugueses".

O que significa que o orçamento o ministro gerido pelo líder do CDS-PP terá uma redução de 10,6%, o que representa uma redução de 40 milhões de euros.

De acordo com o ministro, estes encerramentos permitem reforçar no futuro representações diplomáticas na Ásia e na América Latina, estando previsto para breve a abertura de uma embaixada no Qatar.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM