Política

"Limpa ou não, não há mesmo saída" para rumo de austeridade

"Limpa ou não, não há mesmo saída" para rumo de austeridade

O PCP disse esta terça-feira que "não há mesmo saída" para a continuação da austeridade no pós-'troika' a não ser que haja uma "rejeição" destas políticas e uma renegociação da dívida.

"Limpa ou não, não há mesmo saída. As políticas vão mesmo continuar a não ser que Portugal consiga rejeitar esta política, renegociar a dívida e assegurar o pagamento da dívida apenas nos termos em que seja possível realizá-la de acordo com a Constituição e os direitos dos portugueses", declarou o parlamentar comunista Miguel Tiago.

O deputado falava aos jornalistas no final de um encontro da comissão parlamentar de acompanhamento das medidas da 'troika' com os representantes internacionais que estão em Portugal para a 12.ª avaliação do programa de resgate.

O PCP disse que, na reunião, os elementos da 'troika' se escusaram a detalhar quais as conversas que têm tido com o Governo para o período seguinte ao fim do programa de assistência.

"(Os elementos da 'troika) Não quiseram detalhar cada um dos acordos que estão a estabelecer com o Governo português no sentido dessa continuação, mas deixaram claro que o que interessa é que a tendência política geral de austeridade (...) tem de continuar", advertiu Miguel Tiago.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM