O Jogo ao Vivo

Política

Ministro da Defesa critica desrespeito das regras democráticas

Ministro da Defesa critica desrespeito das regras democráticas

O ministro da Defesa, José Pedro Aguiar-Branco, considera que, "quando não se deixa alguém falar", não se estão a respeitar as regras democráticas, a propósito dos protestos que já interromperam ministros como Miguel Relvas e Paulo Macedo.

Em declarações aos jornalistas no Parlamento, Aguiar-Branco considerou que "o exercício do direito à crítica é sempre respeitável, desde que se faça no respeito das regras da democracia".

No entanto, especificamente sobre as manifestações em eventos públicos com o ministro dos Assuntos Parlamentares e da Saúde, o governante disse que "quando não se deixa alguém falar se calhar" não se estão "a respeitar as regras da democracia".

Na segunda-feira à noite, numa conferência do "Clube dos Pensadores", o ministro Miguel Relvas foi interrompido por cerca de vinte pessoas que cantaram "Grândola Vila Morena" e exigiram a sua demissão.

No dia seguinte, o ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares foi impedido também por manifestantes de proferir o discurso de encerramento de uma conferência sobre comunicação social organizada pela TVI, no ISCTE.

Relvas teve de abandonar as instalações do ISCTE escoltado por seguranças, enquanto dezenas de alunos perseguiam a sua comitiva contestando as políticas do Governo, empunhando cartazes e gritando palavras de ordem.

Já esta quarta-feira, no Porto, um grupo de pessoas entoou "Grândola Vila Morena" no momento em que o ministro da Saúde, Paulo Macedo, ia discursar, no âmbito de uma conferência-debate sobre o sistema de saúde para além de 2014.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado