segurança

Dois mortos após disparos num stand de automóveis

Dois mortos após disparos num stand de automóveis

O fim de uma relação amorosa resultou, esta terça-feira, em dois mortos na Mealhada. Um empresário assassinou a tiro o filho da amante e a seguir suicidou-se. O marido traído saltou uma vedação e escapou à morte.

Pedro Miguel Antunes, mais conhecido por "Michel", de 40 anos, dono do restaurante D. Pitéu, em Santa Luzia, Mealhada, manteve uma relação extraconjugal com a mulher de Aires Martins, 56 anos, vendedor de autocaravanas, junto ao IC2, em Carqueijo, Mealhada.

"Tita", de 52 anos, chegou a abandonar a sua casa, em Pisão, Barcouço (Mealhada), por causa do amor. Mas, arrependida, cortou a relação com "Michel" e pediu ao marido para a perdoar e deixar regressar a casa.

Descrito por amigos como "pessoa muito calma", Aires acedeu, mal sabendo a guerra que acabara de abrir com o amigo e amante da mulher.

"Michel", que era também amigo do filho único da amante, Adriano, resolveu contar tudo a Aires Martins. Disse-lhe que tinha tido um "caso" com "Tita". Ao que este, segundo um amigo próximo, terá respondido: "Obrigado por me contares a verdade e por me teres apunhalado nas costas e no coração. Segue a tua vida e não fales mais para mim".

Ontem à tarde, "Michel", que vivia com a mulher e dois filhos (de 18 e 13 anos) em frente ao stand de autocaravanas, estacionou o seu carro num restaurante ao lado e, conforme disse ao JN a proprietária do estabelecimento, Sónia Branco, "pediu à funcionária uma cerveja e um saco preto". "Saiu com uma caçadeira escondida no saco, entrou no stand e tentou matar Aires, mas este saltou uma vedação e fugiu. Adriano não teve a mesma sorte. Levou vários tiros, que o mataram", conta.

Pedro Batista, amigo das vítimas e do homicida, escapou por pouco aos tiros. "Estava a atender uma chamada e, por isso, não estava lá dentro naquele momento trágico. Ouvi tiros e entrei. Só vi o "Michel" com a cabeça desfeita, quase decapitada e o Adriano a desfalecer. Estava vivo, mas não falava. Nunca tinha visto cenário tão macabro. Estou em choque", disse a testemunha.

Rui Correia, amigo do agressor e vítimas, conta que "eles davam-se todos muito bem. Ainda há pouco tempo o Adriano comemorou o seu aniversário no restaurante do "Michel". Como é que se perde assim a cabeça, por causa de uma mulher?", questiona.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM