segurança

Dono de café suspeito de estrangular ex-empregada matou-se com veneno

Dono de café suspeito de estrangular ex-empregada matou-se com veneno

O dono de um café, de 61 anos, e uma ex-empregada, de 21, foram encontrados mortos este domingo de manhã no "Ferreira das Francesinhas", em S. Mamede de Infesta, Matosinhos. Os bombeiros testemunharam um cenário estranho e encontraram vestígios de pesticidas e uma garrafa de gás aberta na casa de banho. A jovem aparenta sinais de estrangulamento.

A Polícia Judiciária está a investigar o caso para tentar perceber como ocorreram as mortes. A tese das autoridades, neste momento, aponta para um caso de homicídio seguido de suicídio.

O corpo de uma das vítimas, uma mulher de 21 anos que era ex-funcionária do estabelecimento, apresentava "marcas de estrangulamento" e foi encontrado atrás do balcão. O segundo corpo, do proprietário do café, um homem de 61 anos, foi encontrado perto da casa de banho.

O pedido de auxílio foi feito, às 11.40 horas, pelo filho do dono do café. Estranhou a ausência do pai e dirigiu-se ao estabelecimento, que estava encerrado e com as grandes exteriores corridas.

Alertou, então, as autoridades que procederam à abertura de portas e encontraram as duas vítimas já sem vida. O INEM confirmou o óbito.

Os Bombeiros Voluntários de S. Mamede de Infesta e a PSP prestaram ajuda no local, o café "Local de Encontro", conhecido como "Ferreira das Francesinhas", na rua professor Serafim Silva Lopes.

Ao que o JN apurou, a jovem tem 21 anos e tinha acabado a universidade este ano. A família deu-a como desaparecida ontem e os amigos tinham-se mobilizado para a procurar, este domingo, sustentando que não era vista desde o meio-dia de sábado e que tinha o telefone desligado.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado