segurança

Empresário exige ao BPN os 18 milhões que depositou

Empresário exige ao BPN os 18 milhões que depositou

O empresário José Veloso Azevedo, de Braga, reclama 24 milhões de euros ao BPN. Diz que a administração do banco utilizou para outros fins os 18 milhões que ali depositou e quer mais seis milhões de juros.

José Veloso Azevedo garante, no Tribunal Cível de Braga, que "apenas depositou o dinheiro a prazo", não tendo o BPN e a Sociedade Lusa de Negócios (SLN) autorização para pôr o dinheiro num off-shore das ilhas Caimão.

O empresário jura que o BPN o enganou, ao convencê-lo, em 2004, a fazer aplicações financeiras idênticas a depósitos a prazo, quando na realidade estava a subscrever ações da SLN (Sociedade Lusa de Negócios, então proprietária do BPN) com uma opção de venda com remuneração garantida.

O julgamento está a ser repetido porque a primeira sentença "esqueceu" a resposta a dois dos quesitos iniciais. Ontem, foram ouvidos um ex-assessor da administração do BPN e um perito da firma Deloitte, mas ambos disseram desconhecer o modo como foram feitos os depósitos.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM