segurança

Forças policiais apelam a greve às multas em dezembro

Forças policiais apelam a greve às multas em dezembro

As forças policiais apelaram a uma greve às multas durante o mês de dezembro como forma de protesto contra os cortes previstos nos vencimentos e nos orçamentos das próprias instituições policiais em 2014. O apelo foi lançado, esta quinta-feira à tarde, momentos antes da manifestação em Lisboa, que reuniu milhares de polícia. Durante a manifestação, explodiram dois petardos e os ânimos estão muito exaltados.

"No mês de dezembro: greve às multas. Desvalorizam o nosso trabalho, vamos mostrar o quanto ele vale", pode ler-se num folheto distribuído esta tarde pelos manifestantes que protestam em Lisboa.

O protesto é organizado pela Comissão Coordenadora Permanente (CCP) dos Sindicatos e Associações dos Profissionais das Forças e Serviços de Segurança, que congrega a GNR, PSP, Serviços de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), Polícia Marítima, Guardas Prisionais e Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) -, mas conta também com a presença dos inspetores da Polícia Judiciária e elementos das polícias municipais.

Cerca de mil elementos das forças de seguranças saíram, cerca das 13.30 horas, de vários pontos do Grande Porto rumo à manifestação em Lisboa.

A maior parte do manifestantes concentrou-se na Alameda das Antas, no Porto, de onde saíram elementos da PSP, GNR, ASAE, SEF, Guarda Prisional, Polícia Marítima e ainda da Polícia Judiciária e da Polícia Municipal.

Segundo Paulo Santos, da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP), esta foi a maior mobilização de sempre das forças de segurança.

A manifestação começou às 17.30 horas, em Lisboa, e terá juntado cerca de oito mil pessoas, naquela que já foi considerada a maior manifestação de sempre no setor.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM