segurança

Mãe de Daniel detida após confessar participação no desaparecimento do filho

Mãe de Daniel detida após confessar participação no desaparecimento do filho

A mãe do pequeno Daniel, que esteve três dias em parte incerta, acabou, este sábado à tarde, de confessar à Polícia Judiciária ter participado no desaparecimento da criança, na Calheta, na ilha da Madeira, em janeiro. Ficou detida no Funchal.

A mãe de Daniel confessou ter participado no desaparecimento do filho, em janeiro, durante o interrogatório, este sábado, nas instalações da PJ da Madeira, onde já foi constituída arguida.

Apurou o JN, que ficou detida e vai passar a noite no Estabelecimento Prisional do Funchal. Na segunda-feira será presente a um juiz, para prestar declarações.

Para já, sabe-se apenas que a mãe confessou ser ela quem levou o menor para outra pessoa, cuja identidade ainda não é conhecida, e que o pai nada sabia desses planos.

Esta reviravolta do caso do menino da Madeira, deve-se a uma queixa por violência doméstica apresentada pela mãe, Lídia Freitas, de 24 anos, contra o agora ex-companheiro, Carlos Abreu Sousa, de26.

A mulher saiu de casa na última terça-feira para se separar do marido e levou Daniel e a irmã. Ter-se-á juntado ao novo namorado.

O Daniel foi dado como desaparecido desde a tarde de domingo, 19 de janeiro, quando se encontrava na casa do tio e padrinho, na localidade de Reis Acima, na zona alta da Calheta.

Foi encontrado três dias depois por um funcionário responsável pela distribuição de água de rega na Madeira no meio da floresta, próximo de uma levada. Logo na altura, foi afastada a hipóteses da criança ter sobrevivido naqueles três dias de inverno, sozinha no mato.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM