segurança

Matou irmão e cunhada por causa de terrenos

Matou irmão e cunhada por causa de terrenos

Questões ligadas a terrenos agrícolas poderão estar na origem do duplo homicídio ocorrido esta quarta-feira, pelas 20.15 horas, na pequena aldeia de Boieiros, freguesia de Mata Mourisca, Pombal.

Joaquim Gomes, 53 anos, disparou três tiros de caçadeira e matou o irmão, José, de 60 anos, e a mulher deste, cuja idade e identidade não foi possível apurar. Apenas que é originária de Trás-os-Montes.

O casal de emigrantes em França - onde também vivem as duas filhas - tinha chegado à aldeia no último sábado para um período de férias. José trabalhava numa empresa de transportes internacionais. Segundo alguns vizinhos, estariam alojados em casa de uma irmã, também residente na aldeia.

Durante quarta-feira, as duas vítimas estiveram em casa de Joaquim e acabaram mortos a tiro de caçadeira à porta da garagem.

"Ouvi primeiro um tiro e pensei que alguém andava a matar as galinhas. Depois ouvi mais dois tiros", contou um vizinho, acrescentando que viu Joaquim a sair de casa, montado numa bicicleta, instantes depois dos disparos. De facto, o homicida foi entregar-se no posto da GNR da Guia, onde confessou ter morto a família.

Ainda segundo a vizinhança, o homicida esteve emigrado nos Estados Unidos durante anos e seria "muito habilidoso a trabalhar com pedra". Solteiro, vivia sozinho na moradia que construiu na aldeia. "Ele andava sempre de bicicleta ou a pé, com a foice às costas", contou outra moradora, revelando que Joaquim "falava sozinho e ria-se à gargalhada "também sozinho".

O crime está a ser investigado pela Policia Judiciária de Coimbra, que chegou ao local já depois das 22.30 horas. O suspeito deverá ser presente ao ao tribunal de Pombal, amanhã de manhã,e os corpos seguiram para o gabinete médico-legal da Figueira da Foz.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM