segurança

Paco Bandeira condenado a pena de prisão suspensa por violência doméstica

Paco Bandeira condenado a pena de prisão suspensa por violência doméstica

O cantor português Paco Bandeira foi, esta sexta-feira, condenado a três anos e quatro meses de prisão, com pena suspensa, por violência doméstica à ex-mulher Maria Roseta Ferreira, tendo sido absolvido do crime de maus tratos à filha menor.

Segundo a juíza do Tribunal de Oeiras, "não restam dúvidas de que a assistente [Maria Roseta] foi vítima de violência doméstica], sendo que "não ficou provado que o comportamento do arguido tivesse outro alvo senão o da sua companheira".

Perante os factos provados, o de crime de violência doméstica e também de detenção de arma proibida, a juíza determinou que Francisco Veredas Fernandes, mais conhecido como Paco Bandeira, fosse condenado a três anos e quatro meses com pena suspensa e 400 euros de coima e ainda três mil euros por "danos morais" a Maria Roseta.

A juíza deliberou ainda que o arguido fosse absolvido dos crimes de maus tratos à filha e de devassa da vida privada.

Os depoimentos de Maria Roseta Ferreira, ex-mulher e assistente no processo, e o da filha do casal, de 13 anos, terão sido determinantes para a decisão do coletivo de juízes.

À saída do Tribunal de Oeiras, Paco Bandeira recusou prestar quaisquer declarações aos jornalistas, à semelhança do que já havia acontecido hoje à chegada ao Tribunal e nas anteriores sessões de julgamento.

Por seu turno, o advogado do cantor português adiantou que "o acórdão será analisado", sem adiantar se vai, ou não, recorrer da decisão.

Já Maria Roseta Ferreira, à saída do Tribunal, mostrou-se "muito feliz" e prometeu festejar.

"Hoje a Justiça cumpriu-se. Foram anos de luta, solidão e sofrimento. Finalmente foi reposta a verdade e devolvido o respeito que me era devido", afirmou, apelando ainda a "todas as mulheres do país que exijam ser respeitadas" e que "não tenham medo".

Maria Roseta dedicou ainda a "vitória" de hoje à filha Constança e não lamentou que a pena de prisão a Paco Bandeira não tivesse sido efetiva.

"Se a condenação não foi maior é porque isto é um crime que se passa entre quatro paredes, mas não preferia que ele tivesse tido pena efetiva", sustentou.

O advogado de Maria Roseta, Pedro Sobral, adiantou ainda que está a decorrer um processo cível contra Paco Bandeira para divisão do usufruto, exigindo ao cantor o pagamento de 120 mil euros à sua cliente.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM