segurança

Padre do Fundão condenado a 10 anos de prisão

Padre do Fundão condenado a 10 anos de prisão

O padre e ex-vice reitor do Seminário do Fundão, acusado de 19 crimes de abuso sexual de menores, foi condenado pelo Tribunal do Fundão a 10 anos de prisão. Todas as acusações foram dadas como provadas.

O tribunal deu como provados todos os 19 crimes de que era acusado o antigo vice-reitor tendo ainda destacado o facto deste não ter confessado nem mostrado arrependimento.

De acordo com o que ficou provado, Luís Mendes, de 37 anos, abusou de seis crianças com idades entre os 11 e os 15 anos, cinco das quais alunos em regime de internato no Seminário do Fundão.

Os cinco seminaristas foram abusados entre 2011 e 2012 e a sexta vítima - aluno do padre no Colégio Nossa Senhora dos Remédios, Tortosendo, Covilhã - foi abusada em 2008.

Durante a leitura do acórdão, que foi realizada em súmula, mas com a descrição pormenorizada de cada um dos atos praticados, foi dado como provado que o padre ia às camaratas e se deitava na cama dos alunos, praticando os crimes.

O julgamento começou no dia 19 de setembro e decorreu à porta fechada para proteger as vítimas menores. A leitura do acórdão, que ocorre quase um ano depois de o padre ter sido detido - a 7 de dezembro de 2012 - é pública.

O arguido encontra-se em prisão domiciliária desde o dia em que foi detido, situação em que permanecerá até ao trânsito em julgado da sentença. Inicialmente, foi para casa dos pais em S. Romão (localidade do concelho de Seia, de onde é natural) e mais tarde foi transferido para uma casa da Diocese da Guarda.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM